CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

sexta-feira, 26 de março de 2010

Atividades da Ação Cultural em 2009

ASSEMBLÉIA GERAL DA AÇÃO CULTURAL







Ata da Assembléia Geral Eletiva e de Alteração do Estatuto da Ação Cultural.

Aos 22 dias do mês de novembro, no ano de 2009, reuniram-se os sócios e colaboradores da Ação Cultural, adiante especificados: Maxivel Ferreira da Paixão, Luciane Aparecida da Paixão Santos (Lucy Paixão), José de Oliveira Santos (Zezito), Guido Conteville Cazes, José Gonçalves de La Cierva, Irene do Socorro Smith Correia, Odenila Freire (Barbara Fantasia), Edmundo de Almeida, Josineide Melo Andrade de Almeida, José Luiz dos Passos (Luiz Passos), Tiago Rodrigues da Costa, Maria Auxiliadora de Almeida Santos, Aldaleia Alves de Bezzera, Genilda Joaquim de Araújo, Jussione Hora Reis. Clenilde Santos Alferes, Ronaldo Rodrigues Lima, Carlos Henrique Santos. Luiz Couto Maia, Micheline Fraga Bonfim, Anderson dos Santos, Djenal Alves dos Santos, Ana Angélica Bispo dos Santos, José Bispo dos Santos (Jobys), Thiago Paulino da Silva e Maria Rosali de Matos com o objetivo de eleger e empossar o novo conselho diretor e o novo conselho fiscal da Ação Cultural para a gestão compreendida entre 22 de novembro de 2009 e 22 de novembro de 2012; Formular o planejamento estratégico (triênio 2009-2012), o plano de atividades para 2010 e alterar os artigos 2 e 4 do estatuto. A assembléia foi presidida por Maxivel Ferreira da Paixão, presidente da entidade e secretariada por Irene Smith e por José de Oliveira Santos. Antes de iniciar o planejamento estratégico o diretor-presidente da Ação Cultural solicitou ao sócio José de Oliveira Santos que apresentasse um resumo da trajetória da Ação Cultural até o presente momento, o que foi realizado utilizando alguns cartazes com fotos destacando a trajetória da entidade. A sintese do que foi dito é o seguinte: A Ação Cultural foi criada no ano de 2004 por artistas e produtores culturais emergentes, além de educadores envolvidos com atividades de animação cultural na periferia. De acordo com o estatuto em vigor a entidade tem como missão e fim institucional criar condições e oportunidades para que crianças e jovens possam desenvolver plenamente o seu potencial como pessoas utilizando programas culturais com conscientização cidadã. A Ação Cultural se organiza buscando empoderar agentes e grupos culturais que atuam na periferia realizando de forma compartilhada: Reuniões, pesquisas de diagnóstico, oficinas de elaboração de projetos, produção de artigos/release, divulgação on-line e impressa, organização de portfólios, promoção de fóruns de debates, oficinas e mostras artísticas. Logo após foram formados três sub-grupos para elaborar a nova missão, a visão de futuro e os valores. Em seguida na plenária, após intenso debate, foi aprovada por consenso a seguinte redação: Missão - A Associação Cultural tem como missão e fim institucional apoiar e realizar iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades. A Visão de Futuro - Tornar a Ação Cultural até 2014 uma entidade reconhecida a principio na região nordeste pelo seu pioneirismo e eficácia no apoio e realização de iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades em que atua. Valores - Fraternidade, Solidariedade, Inclusão, Inovação e Transparência. Em seguida, foram apresentados os nomes que comporão o novo conselho diretor e o novo conselho fiscal, os quais foram eleitos e empossados por aclamação. Os eleitos são os seguintes: CONSELHO DIRETOR: Irene do Socorro Smith Correia – diretora-presidente , José Gonçalves de La Cierva, secretario e Luciane Aparecida da Paixão Santos – Tesoureira CONSELHO FISCAL; José Bispo dos Santos (Jobys) Luiz Couto Maia e Odenila Freire. Por último a assembléia-geral aprova a seguinte redação para o artigo 2º: A Associação Cultural tem como missão e fim institucional apoiar e realizar iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades e fica assim a nova redação do artigo 4º: Para atender a sua missão a Associação Cultural possui os seguintes objetivos sociais: I)Promover a arte e a cultura, implementando programas que vise o pleno exercício da cidadania cultural para o desenvolvimento da qualidade de vida da população. II)Montar e apoiar oficinas, escolas informais, espetáculos nas áreas artísticas, vídeos, filmes e programas nas áreas de comunicação, com jornal, radio e tv e programas de inclusão digital. III)Promover e apoiar estudos e pesquisas, captar fundos e recursos, patrocinar pesquisas e projetos relativos à geração de renda em arte e cultura para beneficiar grupos populares em situação de vulnerabilidade. IV)Promover, participar e apoiar intercâmbio e capacitação dentro e fora do território nacional. V)Estimular a parceria e o dialogo local e a solidariedade entre os diferentes segmentos sociais, participando junto às outras entidades que visem interesses comuns. Com relação as prioridades iniciais da Ação Cultural para o ano de 2010, ficou definido: A) Fortalecimento dos encontros mensais, oficinas e baile anual das danças circulares, considerando ser uma atividade presente desde a criação da entidade, por envolver pessoas de diversos bairro de Aracaju e por contar com a participação de um significativo numero de sócios e colaboradores. B)Retomada e ampliação do Projeto Ecarte, o qual está sendo discutido com lideranças de três comunidade (Conj. Jardm, Conj. Eduardo Gomes e Bairro América). Inicialmente foi realizado no periodo de 2002 à 2006 no Conj. Jardim e se propõe realizar oficinas de iniciação às artes cênicas para adolescentes, utilizando o Estatuto da Criança e do Adolescente como tema das coreografias e esquetes teatrais. C)Apoio a ações e projetos da Cia de Dança Rick di Karllo e Grupo Pro Cena de Espetáculos. Foi explicado que estes dois grupos culturais realiza um trabalho cultural há 25 anos ininterruptos sem apoio do poder público municipal, estadual e federal e tem sido parceiro constante da Ação Cultural desde a fundação, inclusive cedendo espaço para a sede da Ação Cultural. D)Retomada do Sarau Cultural, realizado com grande sucesso no mês de setembro de 2009. E)Revisão do Projeto enviado para participar do Edital dos Pontos de Cultura, no ano de 2009, o qual não obteve êxito por problemas relacionados a análise da documentação. A meta é participarmos novamente em 2010, caso seja aberto novas inscrições. Em seguida foram apresentados outros projetos para incubação, são eles: Oficina de audio-visual e cineclube itinerante; Encontro Cultural do Bairro América; Projeto Cultural Painel Poético; Edição de livros de poesia; Ação Educativa com a quadrilha junina Asa Branca; Quintas Culturais no Clube Flamengo Circulista (Siqueira Campos). Sem mais a tratar, deu-se por encerrada a reunião, e dela foi lavrada a presente ata que, lida e julgada conforme, vai assinada pelos diretores e conselheiros fiscais eleitos e demais presentes.

São Cristóvão, 22 de Novembro de 2009

Maxivel Ferreira da Paixão

Luciane Aparecida da Paixão Santos (Lucy Paixão)

José de Oliveira Santos (Zezito)

Guido Conteville Cazes

José Gonçalves de La Cierva

Irene do Socorro Smith Correia

Odenila Freire (Barbára Fantasia)

Edmundo de Almeida

Josineide Melo Andrade de Almeida

José Luiz dos Passos (Luiz Passos)

Tiago Rodrigues da Costa

Maria Auxiliadora de Almeida Santos

Genilda Joaquim de Araújo

Jussione Hora Reis

Ronaldo Rodrigues Lima

Carlos Henrique Santos

Luiz Couto Maia,

Micheline Fraga Bomfim

Anderson dos Santos

Djenal Alves dos Santos

José Bispo dos Santos (Jobys)

Ana Angélica Bispo dos Santos

Maria Rosali de Matos

Thiago Paulino da Silva

REUNIÃO DO GRUPO DE ESTUDO E TRABALHO EM PRODUÇÃO CULTURAL




PARTICIPAÇÃO DE MEMBROS DA AÇÃO CULTURAL NA 2º CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA





27 de outubro de 2009
Deliberações da Conferência Municipal com base nos eixos estruturantes

I - Produção Simbólica e Diversidade Cultural
Âmbito Municipal:
1 - Identificar, mapear, divulgar e dar acesso aos bens simbólicos locais;
2 - Promover diálogos interculturais constantes com ampla participação da sociedade;
3 - Estabelecer em caráter de urgência o diálogo com os profissionais da educação;
4 - Incorporação das linguagens artísticas no ensino regular;
5 - Democratização do acesso ao conteúdo cultural;
6 - Descriminalização das rádios comunitárias

II - Cultura, Cidade e Cidadania
Âmbito Municipal:
1 - Setorização de políticas de fomento à cultura, garantindo à contemplação de todas as áreas nas esferas, estadual e municipal;
2 - Descentralização das ações culturais nas esferas nacional e estadual;
3 - Aumentar o acesso aos equipamentos culturais;
4 - Garantir informação e formação sobre direitos de acesso aos equipamentos e ações culturais;
5 - Fortalecimento da identidade local a partir da integração da comunidade com sua diversidade cultural;
6 - Registro gráfico e audiovisual do patrimônio cultural material e imaterial e sua ampla circulação;
7 - Ações culturais contínuas e transversais nas áreas de vulnerabilidade e em instituições ressocializadoras
8- Transversalidade no uso efetivo da cultura como agente transformador social nos espaços de: segurança pública, saúde, assistência social, educação;

III - Cultura e Desenvolvimento Sustentável
Âmbito Municipal:
1 - Garantir que os equipamentos culturais (espaços públicos)priorizem as várias manifestações culturais;
2 - Garantir a capacitação em gestão e elaboração de projetos para esses atores culturais;
3 - Garantir o intercâmbio e difusão da cultura local;
Âmbito Estadual:
4 - Garantir a formação de agentes patrimoniais, culturais, ambientais e sociais visando a transversalidade e a interdisciplinaridade das ações sócio-educativas e culturais;
Âmbito Nacional:
5 - Incentivar as ações articuladas da cultura com as demais áreas de políticas sociais e culturais;
6 - Melhor inserção na mídia dos programas e planos culturais que são gerados pelas três esferas administrativas.

VI - Cultura e Economia Criativa
Âmbito Municipal:
1 - Formular uma Política Cultural que valorize a diversidade das produções aracajuanas com participação ativa em eventos de pequeno, médio e grande porte;
2 - Implantar o Fundo Municipal de Cultura, desde que este supra a ausência de uma lei de incentivo beneficiando a cadeia produtiva cultural de pequeno, médio e grande porte;
3 - Criar ações integradas entre os poderes municipal, estadual e federal visando a formação de público e escoamento da produção nos setores de educação;
4 - Priorizar a produção cultural e a mão-de-obra local em eventos públicos e privados, e quando o poder público for parceiro seja exigida a contrapartida com a criação de cotas de participação na contratação de profissionais locais;
5- Criar mecanismo de incentivo e apoio à inserção de artistas e produtores culturais como micro-empreendedores individuais;
6- Disponibilizar um percentual significativo de pautas nos teatros para produção de espetáculos locais através de editais;
7- Inserção ou circulação de produções artísticas em espaços alternativos, tais como, escolas, universidades, igrejas, clubes, centros comunitários, bares, praças, empresas, proporcionando um melhor acesso ao público às produções culturais locais;
Âmbito Estadual:
8- Implantar o Fundo Estadual de Cultura, desde que este supra a ausência de uma lei de incentivo beneficiando a cadeia produtiva cultural de pequeno, médio e grande porte;
9- Fomentar a formação continuada do público e dos gestores culturais;
Âmbito Nacional:
10- Promover programas de capacitação continuada da cadeia produtiva da cultura;

V - Gestão e Institucionalidade da cultura
Âmbito Municipal:
1 - Criar e instituir o Sistema Municipal de Cultura de Aracaju
2 - Reformular e reativar o Fundo Municipal de Cultura;
3 - Criar mecanismos de gestão participativa em Aracaju;
4 - Criar mecanismos de sustentabilidade para a produção local;
5 - Desvincular outras pastas do órgão gestor de cultura do Município;
6 - Instituir mecanismos de acesso, difusão e intercambio da/com a produção cultural local;
Âmbito Estadual:
7 - Criar e instituir programas de capacitação em gestão de projetos e em gestão de carreira;
8 - Criar, nos poderes legislativos municipal e estadual, uma comissão especifica de cultura;
Âmbito Nacional:
9 - Instituir nos três níveis de governo sistema de indicadores e informações;
10 - Fortalecer os mecanismos de gestão compartilhada do Ministério da Cultura.


APRESENTAÇÃO DA CIA DE DANÇA RICK DI KARLLO EM LARANJEIRAS (JANEIRO DE 2010)




REUNIÃO COM INTEGRANTES DA CIA DE DANÇA RICK DI KARLLO PARA A REALIZAÇÃO DO PROJETO ECARTE NO CONJUNTO EDUARDO GOMES.





REUNIÃO COM A ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONJUNTO JARDIM PARA DISCUTIR RETOMADA DO PROJET0 ECARTE







PARTICIPANDO DO GRUPO DE TRABALHO ECONOMIA DA CULTURA DA CIDADE DE SÃO CRISTÓVÃO




PARTICIPANDO DA I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA

Secult promove I Conferência Estadual de Cultura em dezembro
Nos próximos dias 3 e 4 de dezembro, o Teatro Tobias Barreto e o Centro de Convenções de Sergipe, em Aracaju, serão cenários de um importante e inédito desafio a ser realizado pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult): a I Conferência Estadual de Cultura de Sergipe, um marco para a história da política cultural sergipana.

A Conferência Estadual surgiu a partir da articulação entre governo, representantes da sociedade civil organizada, atores culturais, e instituições de grande contribuição cultural em nosso estado, e acontece como fase preparatória para a II Conferência Nacional de Cultura, a ser realizada em março de 2010, em Brasília, se configurando como um passo importante para consolidação do Sistema Estadual de Cultura, em consonância com o desafio de regulamentação do Sistema Nacional (SNC), e para formatação do Plano Estadual de Cultura.

A base para a realização da conferência em sua esfera estadual foi constituída a partir de um primeiro passo, que foi a realização das conferências municipais. Pela primeira vez, o Governo do Estado somou esforços junto aos municípios e foi possível promover em Sergipe uma discussão qualificada e representativa sobre a cultura local, com um total de 31 conferências realizadas nos 75 municípios sergipanos em outubro, e com um número bastante expressivo de delegados escolhidos, aproximadamente 300.
Agora, dando continuidade ao processo, durante a Conferência Estadual os delegados vão trabalhar com as propostas das Conferências Municipais já sistematizadas pela Comissão Estadual e poderão acrescentar novas propostas de âmbitos estadual e nacional. No final, devem ser escolhidas quatro propostas de âmbito nacional por eixo para envio para a Conferência Nacional. As propostas de âmbito estadual podem subsidiar o Plano Estadual de Cultura e a criação de programas e projetos da Secult.

Assim como nas conferências municipais e na etapa nacional, a discussão das propostas será dividida em cinco eixos temáticos: Produção simbólica e Diversidade cultural, Cultura, Cidade e Cidadania, Cultura e Desenvolvimento Sustentável, Cultura e Economia Criativa, Gestão e Institucionalidade da Cultura.

A realização da I Conferência Estadual de Cultura demonstra o compromisso do Governo de Sergipe com a população, artistas e produtores culturais, e é simbólica não só por ser a primeira, mas por consolidar uma nova forma de gerir a cultura em Sergipe, promovendo a discussão compartilhada para a elaboração de propostas e consolidação dos planos de ação, porque a cultura deve ser pensada enquanto política pública duradoura e que transcende o plano de ação de um governo.








Sexo e risadas ajudam a retardar o envelhecimento, garante especialista em medicina preventiva



doutora Edith Horibe

26/03 - 00:28 - Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro
fonte: portal IG


Uma das maiores autoridades no país sobre cirurgia plástica, a doutora Edith Horibe fez uma palestra durante o IX Simpósio Internacional de Medicina Antienvelhecimento, na tarde de quinta-feira (25), em um hotel na zona sul do Rio de Janeiro.

PhD pela Faculdade de Medicina da USP, a médica diz que praticar sexo e dar boas risadas ajuda a retardar o envelhecimento. “Quando você ri, está alegrando seus órgãos. A risada rejuvenesce, assim como uma boa alimentação e a prática sexual são importantes para o processo de envelhecer bem”, afirma.

Durante o evento, que é promovido pela ABMAE (Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento), Edith conversou com iG sobre as novas aplicações da medicina de prevenção e de que forma mente e corpo podem estar em equilíbrio para um ávida melhor.

Isac Luz



iG: O que é medicina antienvelhecimento?
EDITH: A medicina antienvelhecimento é a medicina preventiva. Dentro da OMS (Organização Mundial da Saúde), o ato número 1 deve ser a prevenção, a partir da manutenção da qualidade de vida e da produtividade até o final da vida do ser humano.

iG: Qual é a idade ideal para começar a se preocupar com o envelhecimento?
EDITH: Quanto mais cedo melhor. Quando nascemos já estamos envelhecendo. É uma questão de educação. Fazer as pessoas entenderem que tudo é um aprendizado. Tudo começa com a consciência. Se você pensa que é jovem, você é jovem. Se você pensa que é acabado, você estará acabado. Não importa se tem 25 ou 50 anos.

iG: Como levar isso para o dia a dia?
EDITH: Do ponto de vista prático, aprender a meditação, para conter o nível de estresse. Com 20 minutos de manhã e à noite, você lida melhor com o estresse do cotidiano. Estou te falando de comprovação científica, não é ‘achologia’. A pressão e os batimentos cardíacos melhoram quando você entra em um estado de relaxamento. Fisicamente, a pessoa também fica mais saudável.

Isac Luz



iG: De que forma as pessoas podem e devem adotar novos hábitos?
EDITH: É preciso fazer uma conscientização, principalmente por parte do governo. Isso é uma mudança de hábito. Para poder chegar numa idade mais avançada sem dependência de remédios é preciso agir desde cedo. O trabalho a se fazer é muito amplo. Pode ser feito através de ações em escolas e em locais públicos. Além da parte mental, o exercício físico é extremamente importante. Vamos parar de sedentarismo!

iG: Falar de medicina preventiva em um país tão carente de serviços básicos da área médica não é um contra-senso?
EDITH: Se não tem dinheiro para pagar um personal trainner, faça exercícios por contra própria, pelo menos 30 minutos ao dia. O pobre, por exemplo, pode fazer compras, levar o cachorrinho das madames para andar, caminhar de casa para o local de trabalho... É bobagem falar que não tem dinheiro para fazer atividade física. Quem tem melhor condição financeira, faça academia com supervisão de um profissional adequado.

iG: Quem sabe envelhecer melhor: os paulistas ou os cariocas?
EDITH: Olha, os paulistas têm nível de estresse campeão no Brasil. Não sei responder se o carioca sabe envelhecer melhor, mas pelo menos no Rio há mais condições para se envelhecer bem. Tem belas paisagens, praias, há um clima agradável, o carioca dá muita risada... Isso ajuda.

iG: Como assim?
EDITH: Dar risada é importante. Viver alegre faz parte do ato de pensar positivamente, o que afeta a mente. Quando você ri, está alegrando seus órgãos. A risada rejuvenesce, assim como uma boa alimentação e a prática sexual são importantes para o processo de envelhecer bem.

iG: Sexo também ajuda a retardar o envelhecimento?
EDITH: Com certeza. A pessoa consegue ter um bem estar a partir da prática de exercícios sexuais. Tanto que a modulação hormonal é necessária para a terceira idade, quando a taxa de hormônios cai acentuadamente. É neste momento que a pessoa tem de volta a disposição e a libido. O que evita insônia e depressão. Está tudo interligado. Se o corpo fosse um carro, poderiam dizer assim: A cirurgia estética cuida da lataria. Mas isso não basta. O motor precisa funcionar. Aí entra a medicina antienvelhecimento.

http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia_saude/2010/03/26/sexo+e+risadas+ajudam+a+retardar+o+envelhecimento+garante+especialista+em+medicina+preventiva+9439926.html

quinta-feira, 25 de março de 2010

Yoga: Entenda esta filosofia de vida e de saúde

Aprenda técnica de respiração antiestresse
por Nicole Witek

Distúrbios músculoesqueléticos, insônia, sintomas de ansiedade crônica que podem se tornar patologias duradouras e afetar tremendamente o organismo... Não dá para enumerar os efeitos que o estresse causa a longo prazo no organismo. A medicina hoje se defronta com um limite: o dos remédios cujos efeitos, se forem tomados durante um longo período, podem ser perigosos. Existe o risco de se acostumar ao medicamento e ficar dependente dele.

Leia mais em:
http://www2.uol.com.br/vyaestelar/yoga_antiestresse.htm

domingo, 21 de março de 2010

Baile de Integração

3º Baile de Danças Circulares faz desconhecidos darem as mãos e proporciona um mosaico cultural


Tá certo.... o final de todo baile é o silêncio. Mas o desse baile foi diferente. Não foi somente a música que acabou. Era um silêncio diferente, daqueles que faz a gente olhar para dentro, refletir. Vamos rodar a roda do tempo... antes do fim... vamos ao começo.

Findou que num sábado1 à noite, entre opções culturais noturnas de Aracaju – é possível citar bandas de rock independente no pub do Capitão Cook ou comer crustáceos e bater papo com os amigos nos barulhentos bares da Passarela do Carangueijo – surgiu uma curiosa: um Baile de Dança Circular.



Para ler a matéria completa, clique aqui.