CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A vida no planeta

Depois da RIO + 20 parece que certo desânimo tomou conta de algumas organizações que lutam pelo meio ambiente. As decisões foram tímidas e a sociedade organizada se pergunta: até quando conviveremos com tanta incerteza? Os próximos meses e anos com a insistência da "crise econômica" na Europa não oferece a humanidade grandes esperanças. O momento é deveras delicado. Num texto emblemático Leonardo Boff aponta:

"Depois das crises que afligem toda a humanidade, particularmente a do aquecimento global, da insustentabilidade do planeta Terra e ultimamente da econômico-financeira, atingindo o coração dos países opulentos, o crescimento do fundamentalismo e a permanente ameaça do terrorismo, os cenários dramáticos que muitos analistas sérios desenham para o próximo futuro da Terra, da Humanidade, da vida[1]...", completamos, não são animadores. A primazia do econômico sobre o social tem sido a grande mazela da nossa civilização ocidental.

As futuras gerações terão um papel fundamental na disputa pela sustentabilidade do planeta. O sistema necrófilo que alimentamos após a Revolução Industrial, precisa mudar rapidamente. Quem da nossa geração - década de 1960 - não se lembra dos engajamentos sociais e políticos durante a ditadura militar no Brasil? Quem não recorda a formação de uma base utópica em meio às religiões e a sociedade da época? Bons tempos. Só que, passaram. O crivo de análise é outro. O subjetivismo exacerbado que vivemos hoje nos aproxima incomensuravelmente da indiferença e da negação do outro. É preciso rever esse quadro.

Nossa geração necessita de uma marca indelével para substituir a depredação do meio-ambiente. E, em coisas pequenas e simples podemos mudar. Tomar atitudes que revelem o lado místico e mistérico de homens e mulheres mais espiritualizados. Esse combate já se iniciou e com palavras motivadoras, Boff nos apresenta esse caminho como essencial:

"Do capital material somos forçados passar ao capital espiritual. O capital material tem limites e se exaure. O espiritual, é infinito e inexaurível. O capital espiritual feito de amor, de compaixão, de cuidado, de criatividade, realidades intangíveis e valores infinitos que não há limites[2]"
Na comunidade eclesial e com a ONG Ação Cultural, queremos esse ano dá mais um passo na conquista desse equilíbrio entre o ser humano, a natureza e a vida de fé sem limites. Estamos preparando para setembro a II Jornada Ecologia e Espiritualidade com Zé Vicente. Venha e some-se a nossa luta e ardente desejo de justiça, solidariedade equilíbrio ambiental e espiritual.

José Soares de Jesus

 


Seminário discute comunicação e direitos da criança e do adolescente


O evento acontecerá dia 03 de julho, em Aracaju, com o intuito de oferecer subsídios técnicos aprofundados para a consolidação de políticas de comunicação com foco em crianças e adolescentes

Com o intuito de fortalecer o debate acerca da relação entre mídia e infância e oferecer subsídios técnicos aprofundados para a consolidação de políticas de comunicação com foco em crianças e adolescentes, acontecerá no próximo dia 03 de julho a Oficina Infância e Comunicação - Referências para o marco legal e as políticas públicas brasileiras, realizado pela ANDI – Comunicação e Direitos, pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SDH), com apoio da Rede ANDI Brasil, representada em Sergipe pelo Instituto Recriando.

O evento pretende atingir preferencialmente os delegados eleitos na IX Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de Sergipe, de modo a sensibilizá-los e mobilizá-los, oferecendo-lhes subsídios para que fortaleçam o debate em torno das propostas com foco em temas referentes à relação entre comunicação e direitos da infância e da adolescência durante a IX Conferência Nacional DCA, que acontecerá de 11 a 14 de julho, em Brasília.

A oficina será ministrada pela Gerente do Núcleo de Qualificação e Relações Acadêmicas da ANDI, Suzana Varjão, e pelo jornalista do Portal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Raphael Gomes. Ambos são atores sociais com ampla experiência na temática Infância e Comunicação. A discussão será pautada pelos 10 eixos temáticos elencados na publicação, dentre elas educação para a mídia; regulação de exibição de imagens e identificação de crianças e adolescentes em conteúdos midiáticos; classificação indicativa e produção de conteúdo audiovisual de qualidade para este público. Na ocasião, será ainda lançada a publicação “Infância e Comunicação - Referências para o marco legal e as políticas públicas brasileiras”.

É importante frisar que além de Aracaju, outras nove capitais receberão as oficinas. O ciclo de debates vai culminar com o Seminário Nacional sobre Direitos da Infância e Regulação dos Meios, que ocorrerá em Brasília no segundo semestre deste ano. A proposta integra o projeto “Infância e comunicação: produzindo conhecimento para promover e proteger os direitos de crianças e adolescentes em sua interface com a mídia”, executado pela ANDI, com a parceria da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, e apoio da Rede ANDI Brasil.

Em Sergipe, o seminário terá início às 9h, no Hotel Parque das Águas, localizado na Rua professor Jugurta Feitosa, 400, Atalaia, Aracaju-SE. Para obter mais informações, entrar em contato com a equipe de Comunicação do Instituto Recriando, através dos telefones (79) 3246-5242 e 3246-5211.

Contatos
Instituto Recriando
Débora Melo – Coordenadora de Comunicação
Elma Santos e Tarcila Olanda – Assessoria de comunicação
Tel.: (79) 3246-5242 / 3246-5211

 Fonte: Instituto Recriando

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O Sala de Notícias em Debate de ontem falou sobre "Tecnologia a serviço da Educação".


Sala de Notícias em Debate de ontem falou sobre "Tecnologia a serviço da Educação". E para enriquecer a conversa, contamos com a presença dos convidados:
• Ricardo Lima, gerente do Núcleo de Educação a Distância do SENAI-BA;
• Maria da Graça Moreira da Silva, doutora em Educação;
• Suellen Araújo, aluna do Telecurso.

Se você não conseguiu assistir, então confira a reprise neste domingo, 01/07, às 21h no Canal Futura.
Se você preferir, assista agora no Youtube:
Bloco 1: http://www.youtube.com/watch?v=TYCTvilu6Wc
Bloco 2: http://www.youtube.com/watch?v=1rzhvbU2P-4
Bloco 3: http://www.youtube.com/watch?v=_szBgdB2Kng

terça-feira, 26 de junho de 2012

Dentro de instantes, a partir das 20h, estaremos no programa Revista Aperipê

Dentro de instantes,  a partir das 20h,  estaremos no programa Revista Aperipê apresentado pelo jornalista João Neto para falar sobre o seminário do coletivo investigador do plano articulado cultura e educação, o qual foi realizado nos dias 15 e 16 de junho e que contou com a minha participação.

O programa irá ao ar através das ondas da Rádio Aperipê, 630 AM, Salvo engano, o programa poderá ser ouvido pela net

Para saber mais detalhes, clique no link abaixo

http://acaoculturalse.blogspot.com.br/2012/06/o-chao-e-gira_21.html

Link para acessar a rádio Aperipê AM

http://www.aperipe.com.br/


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Discografia de Luiz Gonzaga ganha reedição completa

Gravadora ainda prepara um disco de duetos póstumos, em que artistas vivos vão interpretar em cima de gravações deixadas pelo cantor

 
  • Tamanho da letra
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail
  • 0 Comentário
Segundo informações da Sony Music, a discografia completa de Luiz Gonzaga, O Rei do Baião,  ganhará uma reedição completa. A gravadora é dona dos direitos autorais da obra do músico.

Ainda sem data definida para chegar às lojas (a ideia é que o mercado comece a receber os primeiros lotes dos álbuns a partir de setembro), o projeto faz parte das comemorações do centenário do compositor, celebrado em 13 de dezembro deste ano e cheio de homenagens ao redor do país.

A reedição da discografia será baseada no catálogo da RCA, selo que pertence a Sony e pelo qual Gonzaga lançou a maior parte de sua obra. A Sony negocia também com a EMI o licenciamento dos álbuns que o músico pernambucano produziu pela gravadora Odeon.O pacote somará 58 discos, sendo 15 ainda inéditos em CD, como os trabalhos "Sertão 70" (1971), "São João Quente" (1972) e" Luiz Gonzaga e Fagner" (1984).

Além do relaçamento dos álbuns para comemorar o centenário de nascimento de Gonzagão, a Sony prepara um disco de duetos póstumos, em que artistas vivos vão interpretar em cima de gravações deixadas pelo cantor.

Fonte: IBahia ONordestePortal

sábado, 23 de junho de 2012

DEBATE: ECONOMIA VERDE NA TV CÂMARA

Programa muito legal com a especialissima participação do professor sergipano Genebaldo Freire,  uma das vozes mais respeitadas em matéria de educação ambiental no Brasil e no mundo.

Qual o preço da economia verde? Essa é uma das perguntas que a Rio+20 tenta responder. O termo foi criado há alguns anos para examinar a relação entre economia e sustentabilidade, mas recentemente ganhou força com os debates sobre as mudanças climáticas, preços das commodities, recursos básicos como terra para cultivo e água potável, que se tornaram mais escassos.
Não existem estudos dos valores para a criação de uma economia sustentável, mas a divisão da conta já é um dos pontos de conflito que apareceu nas rodadas de negociação da Rio+20. A Europa pressiona para que os emergentes ajudem, enquanto os países em desenvolvimento empurram a responsabilidade sobre os recursos financeiros para os industrializados. Além disso, segmentos da sociedade civil estão preocupados com a possibilidade de que uma transição para uma economia verde afete de maneira negativa os países pobres, expondo sua economia e dificultando seu crescimento. Para alguns especialistas, o uso do PIB como padrão de riqueza não é o mais adequado, por valorizar informações econômicas e não levar em conta dados ambientais e de sustentabilidade. As nações em desenvolvimento têm receio do conceito de economia verde porque acham que podem acabar estabelecendo normas ambientais rígidas que impedem a exportação de países pobres, que não têm tecnologia, para os ricos. É o chamado “ecoprotecionismo”, um dos principais pontos polêmicos no debate sobre o documento oficial da Rio+20, do qual o grupo de países em desenvolvimento, incluindo o Brasil, busca restringir o alcance do significado do que seria economia verde. Então, esse modelo de produção é realmente viável?

Esse é o debate do Expressão Nacional, exibido ao vivo pela TV Câmara. Participe, enviando suas perguntas para expressaonacional@camara.gov.br; 0800619619 e pelo twitter @xnacional.

Assista AQUI

Marina Mara, Renan Inquérito e Teatro Mágico no Câmara Ligada

Marina Mara, Renan Inquérito e Teatro Mágico no Câmara Ligada

Assista aqui o Programa Câmara Ligada sobre Artistas Independentes.
Share
Música, teatro, circo, poesia, literatura… Como produzir arte sem os incentivos e as amarras do mercado e da grande mídia? Cada vez mais artistas escolhem caminhos alternativos para produzir e divulgar seus trabalhos. Do mundo virtual da Internet aos encontros reais nos saraus, a Cultura Independente cresce e se solidifica, em especial nas periferias das grandes cidades, que dia após dia ganha mais consciência da importância e força de sua voz. Quais são os caminhos para se fazer ouvir? Incentivo público? Trabalho coletivo? O desafio não é apenas produzir, mas formar novas gerações de artistas. Oficinas e saraus cumprem o papel de disseminar cultura longe das grandes salas de teatro e cinema, e artistas se firmam sem a necessidade de estúdios e produtoras.
Para conversar sobre isso, contamos com a participação das escolas EDUSESC – TAGUATINGA NORTE, SESC PRESIDENTE DUTRA e COLÉGIO BARÃO DO RIO BRANCO, da Deputada Federal Luciana Santos (PCdoB) de Pernambuco, com os versos da poeta e produtora cultural Marina Mara, de Brasília, e do rapper Renan Inquérito, de Campinas, e com a música da trupe o teatro Mágico, de Osasco-SP.
Acesse:

sexta-feira, 22 de junho de 2012

NOTA PÚBLICA SOBRE AUSÊNCIA DE INFORMAÇÕES OFICIAIS ACERCA DE POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NAS PRISÕES DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO

As organizações de defesa de direitos humanos Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação; Conectas Direitos Humanos; Instituto de Defesa do Direito de Defesa; Instituto Pro Bono; Instituto Práxis de Direitos Humanos; Instituto Terra, Trabalho e Cidadania; Pastoral Carcerária e Relatoria Nacional para o Direito Humano à Educação – Plataforma DHESCA Brasil, vêm por meio desta nota pública manifestar profunda insatisfação e indignação com a reiterada ausência de resposta por parte da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP) quanto ao pedido de informações sobre política de educação no sistema prisional paulista a ser implementada com base nas Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos privados de liberdade em estabelecimentos penais (Resolução CNE/CEB nº 2/2010).
As organizações signatárias atuam historicamente na defesa de direitos humanos e vêm, em contato com a Comissão de Educação e Cultura da ALESP, com o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) e outros órgãos, discutindo a proposta em elaboração pelo Estado de São Paulo para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos prisionais (Resolução CEB/CNE nº 2/2010).
A específica situação do Estado de São Paulo pode ser compreendida pelos dados do Infopen publicados em dezembro de 2011: São Paulo apresenta a maior população carcerária do país (180.059presos, 35% do total nacional) e uma baixíssima cobertura educacional (8%). Este dado mostra-se mais preocupante quando observamos as informações sobre grau de escolaridade da população carcerária no estado de São Paulo. A maioria dos presos (60%) não possui o ensino fundamental completo.
Já foram solicitadas – sem sucesso – informações detalhadas acerca do plano de implementação de educação de jovens e adultos no sistema prisional do Estado de São Paulo em cinco ocasiões formais: (i) em reunião com o Sr. Secretário de Educação do Estado de São Paulo, no dia 1º de setembro de 2011; (ii) em reuniões públicas realizadas junto à Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), nos dias 21 de setembro e 09 de novembro de 2011; (iii) em petições que solicitavam informações protocoladas junto à Secretaria de Educação nos dias18 de outubro de 2011 e 18 de abril de 2012.
No mês em que entrou em vigor a Lei de Acesso à Informação Pública (arts.5º, 10º, caput e § 1º da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011) - somada à garantia constitucional do art. 5º, incisos XXXIII, XXXIV, alínea “a”, e §1°, c/c o art. 37, caput e §3° - torna-se mais urgente a divulgação dos projetos que estão sendo discutidos no âmbito da Secretaria para que o debate público, e não meramente governamental, se dê.
Repudiamos publicamente, assim, o segredo que paira sobre a política que vem sendo desenvolvida e discutida no âmbito da Secretaria. Política da qual sabemos apenas informações genéricas, prestadas informalmente, porque nunca foi nos encaminhado um documento em que estivesse explícito o arranjo institucional proposto para a adequação do Estado de São Paulo às diretrizes nacionais.
Na última reunião que tivemos com a Secretaria Estadual de Educação, fomos informados de que o modelo de educação a ser seguidos nas unidades prisionais do estado seria através de convênio com a FUNAP, com a contratação de novos monitores para desenvolver as atividades educacionais. Tal modelo já vem sendo desenvolvido no estado e afronta a legislação pertinente ao tema, de tal sorte que nos mostramos integralmente contrários a perpetuação –e a ampliação- desta forma de tratar a educação no sistema prisional.
Contudo, como já afirmado, tal informação não nos foi comunicada de modo oficial.
Nesse contexto, requeremos publicamente, uma vez mais, que a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, órgão responsável por elaborar e implementar uma política de educação no sistema prisional paulista:
1. Torne pública imediatamente sua proposta de política de educação no sistema prisional paulista a ser implementada a partir das Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos privados de liberdade em estabelecimentos penais (Resolução CNE/CEB nº 2/2010).
2. Informe imediatamente como realizará a chamada pública para identificar as pessoas privadas de liberdade interessadas em estudar em 2012-2013.
3. Realize audiência pública para discutir com organizações, pesquisadores e interessados no tema o arranjo institucional e as diretrizes pedagógicas que visa a implementar na nova proposta de educação para pessoas privadas de liberdade.
4. Responda às considerações e questionamentos da Manifestação pública das entidades signatárias sobre proposta elaborada pelo Grupo de Trabalho “Educação no Sistema Prisional do Estado de São Paulo, do Governo Estadual”, que foi entregue quatro vezes à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (01 e 21 de setembro,18 de outubro de 2011 e 18 de abril de 2012).
Caso não seja oferecida uma resposta oficial imediatamente, tomaremos as medidas cabíveis previstas na Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011.
 

CLIPPING A CRIANÇA E O ADOLESCENTE NA MIDIA EM SERGIPE (05)

Fonte: Instituto Recriando Caminhos

Crianças são flagradas trabalhando no Forró Caju
Apesar da determinação da 16ª Vara Privativa do Juizado da Infância e da Juventude, que proíbe a participação de crianças e adolescentes com menos de 14 anos no Forró Caju mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis, o 2º Distrito do Conselho Tutelar de Aracaju já registrou em cinco dias de festa cerca de 90 atendimentos. A maioria dos casos é referente ao trabalho infantil, em especial catação de latinhas, crianças desacompanhadas dos pais, ou adolescentes de 13 e 14 anos alcoolizados. A conselheira tutelar Cícera Maria Castro do Egito informou que também foram flagradas mães com crianças de colo. “Abordamos e orientamos que fossem para casa. Elas aceitaram nossas orientações”. A conselheira não soube informar como essas crianças e adolescentes conseguiram entrar no espaço do evento mediante a proibição da Justiça. Segundo a determinação do juiz Alex Caetano de Oliveira, apenas os adolescentes com 14 e 15 anos podem ir à festa desde que estejam acompanhados dos pais ou responsáveis e somente os com 16 anos é que podem comparecer ao Forró Caju sem a companhia dos responsáveis, mesmo assim, é necessário que levem documento de identificação.
(Jornal da Cidade, p. Cidades B4 – 22/06)

Sintese denuncia irregularidades em escolas estaduais em Aracaju e no interior
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese) denuncia irregularidades em instituições de ensino de municípios sergipanos. A Escola Leandro Maciel, em Pacatuba; a Escola Estadual Luis Garcia, em Brejo Grande; e a Escola Carlos Firpo, na Barra dos Coqueiros, são alguns exemplos do quanto a falta de estrutura pode comprometer o aprendizado dos estudantes. Segundo o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe, José Francisco Andrade, a situação dessas instituições de ensino é caótica e por isso precisam de reformas emergenciais. Em Aracaju, a denúncia diz respeito à Escola Estadual Djenal Queiroz, que segundo o Sintese, mesmo depois de seis anos de reforma muitos setores ainda não funcionam, a exemplo da biblioteca e do laboratório de informática.  De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Educação (SEED), na próxima segunda-feira será enviada uma equipe de engenheiros para as Escolas Leandro Maciel e Carlos Firpo com o intuito de fazer um levantamento das necessidades e encaminhar para a empresa executora de reparos nas escolas estaduais, já que no momento não existem projetos de reforma. Já na Escola Luis Garcia o projeto de reforma e ampliação já está pronto e será encaminhado para licitação. Em relação ao Djenal Queiroz a SEED esclarece que a biblioteca e o laboratório de informática estão funcionando normalmente. 
(Jornal Correio de Sergipe, p. Capa e Geral A7, Fábio Brito – 22/06)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O Chão e a Gira

Texto baseado na fala "inspirada" durante a minha participação no seminário do coletivo investigador para a elaboração do plano integrado de cultura e educação.Iniciativa do MINC e Casa da Arte de Educar, realizado em Recife nos dias 15 e 16 de junho.


O processo educativo precisa aterrar, descer abaixo do chão e subir possibilitando a gira girar de forma bem tranquila.A “crise” da escola advém daí. Quando falamos em aterramento estamos tratando dos saberes de nossos ancestrais, estamos querendo dizer que precisamos buscar referenciais na memória das nossas comunidades , das nossas tribos, dos nossos terreiros, dos povos originários.Deixar a gira girar é garantir um ambiente favorável dentro da escola para liberar corpos e mentes para poderem se relacionar de forma mais sincera e criativa, inclusive com o conhecimento.Por isso não acontecer é que nos deparamos com pessoas completamente perdidas e a mercê dos modismos de ocasião em matéria de valores e comportamentos estimulados, fabricados e /ou disseminados com vistas ao fortalecimento da sociedade materialista, consumista e predatória que nos é imposta pelas elites capitalistas. Portanto, não é preciso temer nada daquilo que é novo ou diferente, desde que seja dedicado uma atenção especial aquilo que vem de muito longe e que nos liga com os elementos naturais e culturais que recebemos das gerações que nos antecederam.Falo das brincadeiras, dos folguedos, dos ritos religiosos, das lendas, não reduzidas a folclore, espetáculo, lazer ou coisa que o valha, mas entendendo que tudo isto é fonte de conhecimentos, significados e saúde. Falo também das águas, das florestas, da terra e do ar.Quando falo em deixar a gira girar, me refiro a possibilidade de recriar, ressignificar ou revitalizar aquilo que herdamos sem medo e sem falsos pudores. Porque a vida está sempre fazendo isso, sob a aparência de algo estático e imóvel, o movimento e a transformação estão sempre acontecendo.O movimento de rotação e translação da terra é um bom exemplo. Se é verdade que se repetem os dias e as estações, também é verdade que sempre surge algo novo nestes dias e nestas estações que se repetem.Em suma, uma educação atenta aos ciclos naturais e culturais da vida, pode ser a saída para as crises nossas de cada dia.Se temos dificuldade para que isto seja assimilado pelo sistema acadêmico e educacional como um todo, poderemos começar em aliança com parte daqueles que compreendem isto e que atuam em universidades, escolas, órgãos da gestão, artistas, ONGs, empresas e órgãos de comunicação.


Para saber mais:


http://www.artedeeducar.org.br/promovendo-a-integracao-entre-cultura-e-educacao

EDITAIS CULTURAIS (1)

Fonte: Informativo Birô Cultural - Secult-SE
Atenção 
A Secretaria de Estado da Cultura torna público o edital do Prêmio de Reconhecimento às Quadrilhas Juninas do Estado de Sergipe

ALUMIAR - II Festival de Novas Composições de Forró
A Secretaria de Estado da Cultura torna público o ALUMIAR - II FESTIVAL DE NOVAS COMPOSIÇÕES DE FORRÓ, visando à seleção de MELHOR canção inédita, melhor música instrumental, destaque música inovadora, melhor interprete e melhor instrumentista no estado de sergipe para apoio e incentivo da cultura musical regional.
Inscrições até 29 de junho

Prêmio de Reconhecimento às Quadrilhas Juninas do Estado de Sergipe
A Secretaria de Estado da Cultura, através do Fundo de Desenvolvimento Cultural e Artístico (FUNCART), torna público para conhecimento dos interessados, as inscrições para o processo seletivo de candidatos referente ao EDITAL DO PRÊMIO DE RECONHECIMENTO ÀS QUADRILHAS JUNINAS DO ESTADO DE SERGIPE – EDIÇÃO CENTENÁRIO LUIZ GONZAGA. O edital tem como objetivo reconhecer e premiar, por meio de apoio financeiro, as Quadrilhas Juninas que se destacarem na manutenção, difusão e fortalecimento desta importante manifestação das culturas populares durante o ciclo junino do ano de 2012.
Inscrições de 26 de julho de 2012 a 03 de agosto

Edital para seleção de oficinas culturais
Com o objetivo de fomentar, incentivar e divulgar a cultura sergipana e afro-brasileira, e promover a Inclusão Social da população em situação de extrema pobreza, a Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe- SECULT e a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social – SEIDES, tornam público o Edital para o APOIO A OFICINAS CULTURAIS, destinado a comunidades em situação de extrema pobreza na Grande Aracaju, compreendendo os municípios de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.
Inscrições de 30 de julho a 10 de agosto.

 Seleção de representantes para compor os Colegiados Setoriais
O Brasil está escolhendo seus representantes para compor os Colegiados Setoriais que fazem parte do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), ligado ao Ministério da Cultura. Mas é preciso um mínimo de 15 eleitores para que um estado da federação possa participar do Colegiado Setorial de Música, por exemplo. O prazo vai até próximo domingo, 24 de junho!
Para se cadastrar é fácil – todo o processo é feito pela Internet. Basicamente, a pessoa precisa preparar um currículo que comprove atuação na área nos últimos 3 anos, CPF, RG e comprovante de residência. Esses quatro itens devem estar digitalizados em arquivos PDF de até 1MB. 



Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural
Com recursos do Fundo Nacional da Cultura (FNC), o Programa consiste na concessão de auxílio financeiro para o custeio de despesas relativas à participação de artistas, técnicos, agentes culturais e estudiosos em atividades culturais promovidas por instituições brasileiras ou estrangeiras.
As inscrições são realizadas exclusivamente por meio do Sistema SalicWeb, disponível no site do MinC www.cultura.gov.br.
Viagens previstas para:                                           Encaminhamento das solicitações até:
Setembro .................................................................................... 02/7/2012

Rumos lança novos editais: Moda e Design, Dança e Cinema e Vídeo
Estão abertas as inscrições para três novos editais do programa Rumos: Moda e Design, Dança e Cinema e Vídeo.
As inscrições são gratuitas e estão abertas até 13 de julho.

Leia também:
Na tarde da última quarta-feira, 20, através de um encontro que reuniu agentes das artes cênicas e representantes da Secult para definir a realização de duas oficinas que beneficiarão a área.  As oficinas fazem parte de um programa da Fundação Nacional de Artes (Funarte), e se serão viabilizadas pela Secult em Sergipe.

http://divirta.se.gov.br/noticias/secult-dialoga-com-agentes-das-artes-cenicas-para-realizacao-de-oficinas

CLIPPING A CRIANÇA E O ADOLESCENTE NA MIDIA EM SERGIPE (04)

Fonte: Instituto Recriando Caminhos


Suspeito de abusar sexualmente de crianças e adolescentes em Sergipe e na Bahia é preso O presidente de duas Organizações Não Governamentais (ONGs) e funcionário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), identificado como Osmar Santos Lisboa, é acusado de abusar sexualmente de crianças e adolescentes nos estados de Sergipe e Bahia. O presidente das ONGs ‘Projeto São Caetano da Bahia’ e ‘Associação Esportiva Onze Estrelas, situada em Aracaju, teve a prisão temporária decretada pelo Ministério Público do Estado da Bahia e encontra-se no Complexo de Operações Especiais (Cope), na capital sergipana. De acordo com o ministério Público da Bahia, as vítimas dos abusos sexuais eram seduzidas diante do sonho de se tornarem futebolistas profissionais. O promotor de Justiça de Acajutiba, na Bahia, informou que os cinco abusos descobertos teriam sido praticados nos últimos três meses contra meninos com idade inferior a 14 anos, que integravam os projetos sociais das instituições presididas por Osmar Santos. Ele disse ainda que dois dos crimes teriam acontecido em Acajutiba e outros dois em Aracaju, além da quinto caso ocorrido em Alagoas durante excursão para um campeonato de futebol. As organizações existiam há cerca de quatro anos e diziam realizar trabalhos beneficentes de auxílio na formação profissional e cidadã de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social por meio do esporte. Os crimes chegaram ao conhecimento da Promotoria de Justiça por meio do Conselho Tutelar de Acajutiba e os relatos das vítimas levam a crer que outras crianças e adolescentes tenham sido violentadas pelo suspeito. A polícia já realizou busca e apreensão na residência do acusado e na sede das organizações. O delegado e coordenador do Cope, Everton Santos, informou que Osmar deverá ser encaminhado hoje, 21, para Salvador, onde responderá pelas acusações.
(Jornal Correio de Sergipe, p. Capa e Polícia B6, Rafael Heleno; Jornal da Cidade, p. Capa e Cidades B1; Jornal do Dia, p. Capa e Cidades 9, Gabriel Damásio – 21/06)

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Porta Curtas em clima de Rio + 20!


Olá, 

Na semana em que os olhos do mundo voltam-se para o Brasil por conta da Rio + 20, o Porta Curtas selecionou filmes que se lançam para a reflexão acerca dos contrastes entre o progresso das grandes cidades e as diferentes maneiras de se habitar o mundo através do desenvolvimento sustentável. Em um momento de grande efervescência sócio-cultural, marcado pelo encontro entre indígenas, chefes de estado, militantes e cidadãos de toda parte do planeta, o sentimento que pauta a conferência atravessa todas as diferenças e se torna um só: o desejo por um mundo melhor para se viver.

Aproveite nossa seleção, reflita e divirta-se! 
Equipe Porta Curtas Petrobras
Pajerama
O que acontece quando um índio vai à cidade pela primeira vez? Entre novas descobertas e armadilhas urbanas, encontra-se em um jogo constante entre cidade e natureza, símbolos do progresso e da tradição, que representam duas das mais belas fortalezas com as quais o homem ainda batalha diariamente para descobrir como lidar.

Tupi or not tupi?
Detalhes da obra 
Gênero: Animação
Diretor: Leonardo Cadaval
Duração: 9 min
Copo de LeitePor Longos Dias
O corpo humano se confunde com a essência da natureza em um oceano de sensações, gostos, gestos, num contraste marcante entre o cinza do concreto e a força bruta dos elementos naturais. Entre mares e formas, cores e prédios, o instinto feminino irrompe diante da correnteza dos rios.Em um país tão rico em diversidade e elementos naturais como o Brasil, a questão da distribuição de terra ainda permanece como um dos grandes desafios. Um olhar poético sobre pessoas que buscam dignidade para viver por meio do trabalho e da inclusão social.
Capivara!Prîara Jõ. Depois do Ovo, a Guerra
Certa vez, ao se referir ao avanço das grandes cidades que lentamente provoca a reinvenção do nosso folclore, Tom Jobim disse que "saci não dá em apartamento". O choque entre natureza e cidade acontece de maneira violenta quando uma capivara, animal silvestre, aparece no centro do espaço urbano, à beira da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio.Crianças indígenas recriam antigos rituais de guerra em um espaço lúdico, evocando antepassados por meio de brincadeiras próprias do universo infantil. Caras-pintadas, cabelos cortados, sorrisos na floresta... O mundo era outro e todo dia era dia de índio!

  

Conectando mente e coração com a Cupula dos Povos na Rio+20

Forum Cidades Sustentáveis Palestra LeonardoBoff


Excelente palestra. AQUI

Calle 13 LATINOAMERICA viña 2011 Camila Moreno e Inti Illimani


Excelente música co-relacionada. AQUI



Para quem quer estar conectado a Cupula dos Povos RIO+20 e acessando rádio, televisão, videos e textos.

http://cupuladospovos.org.br/


http://rio20.ebc.com.br/

Projeto “antibaixaria” em músicas ganha apoio do Ministério Público na Bahia

Fonte: Blog do Pavarini

O MP-BA (Ministério Público da Bahia) manifestou apoio a um projeto de lei que pretende proibir a contratação, pelo poder público, de artistas que cantem músicas “com ofensas às mulheres”. A lei “antibaixaria”, como ficou conhecida, tramita na Assembleia Legislativa desde março e deveria ir a votação na próxima quarta-feira (26). Porém, por falta de uma discussão na Comissão de Constituição e Justiça, a sessão para aprovação da lei deve ser remarcada.

A moção de apoio do MP-BA foi entregue nesta segunda-feira (17) à deputada Luiza Maia (PT) e reacendeu a polêmica sobre o projeto. Segundo o MP-BA, a moção teve a adesão de todos os promotores do Brasil que atuam no enfrentamento à violência doméstica contra a mulher, que assinaram o documento no início do mês, em Gramado (115 km de Porto Alegre).
Leia mais:

terça-feira, 19 de junho de 2012

RIO+20 - PÓLIS PARTICIPA DA SEMANA DE CULTURA, CIDADANIA E ECOLOGIA

póLIS PARTICIPA DA SEMANA DE CULTURA, CIDADANIA E ECOLOGIA - POR UMA CULTURA SEM FRONTEIRAS NA CÚPULA DOS POVOS
17/06/2012
O Panorama dos movimentos e redes culturais na América Latina, a economia solidária, a governança para os povos e a Campanha Continental Cultura Viva Comunitária são alguns dos temas da I Semana de Cultura, Cidadania e Ecologia - Por uma Cultura sem Fronteiras na Cúpula dos Povos.
O Pólis destaca o Encontro Internacional Cultura Viva / Plataforma Puente Cultura Viva Comunitária / Pontos de Cultura que acontecerá entre os dias 18 e 21 de junho no Aterro do Flamengo – Espaço Cultura Viva Sem Fronteiras, realizado pela Comissão Nacional dos Pontos de Cultura, Rede Nacional dos Povos de Terreiro, Plataforma Puente. 
Neste ultimo sábado, 16 de junho, houve um encontro no Istituto Pólis para elaboração de algumas mensagens para este evento. Um grupo de ativista culturais e artistas se juntaram no Instituto Pólis, entre eles Hamilton Faria (Pólis), Eduardo Balan (Culembron Timbal - Red Latinoamericana de Arte y Tranformación Social-Plataforma Puente Cultura Viva Comunitaria), Jorge Blandon (Corporacion Cultural Nuestra Gente) e Adriano Mauriz (Instituto Pombas Urbanas), para pensar estratégias e direções para o fortalecimento da Cultura Viva Comunitária na América Latina. (saiba mais)
Esta campanha está ligada à Plataforma Puente Cultura Viva Comunitaria que busca o fortalecimento e difusão desta política cultural por toda América Latina. 
A "cultura viva" e "cultura comunitária" são expressões desta campanha política internacional voltada para o fortalecimento da diversidade cultural local, fortemente inspirada no mocimento dos Pontos de Cultura no Brasil: entidades reconhecidas e apoiadas financeira e institucionalmente pelo Ministério da Cultura que desenvolvem ações de impacto sócio-cultural em suas comunidades.
Alguns dos objetivos Plataforma Puente Cultura Viva Comunitária são: 
- O fortalecimento e a multiplicação das organizações culturais em toda a América Latina
- O reconhecimento institucional e legal, a partir de  sua legitimidade como atores protagonistas na construção de identidade dos povos;
- O apoio econômico e institucional pelo estado;
- A promoção na América Latina da política chamada “Pontos de Cultura”;
- A construção de redes de organizações culturais populares na América Latina que trabalhem pela soberania sobre os recursos naturais, a justa distribuição da riqueza e pela democracia.
Hamilton Faria, coordenador da Área Cultura e Comunicação do Instituto Pólis, Carolina Caffé e Florence Rodrigues, do Ponto de Mídia Livre Pólis Digital, estarão presentes nos encontros e farão uma cobertura jornalística online para comunicar os acontecimentos.   
publicacoes polis