CANAL DA AÇÃO CULTURAL

Loading...

sábado, 9 de junho de 2012

REPERCUSSÕES DO XI FÓRUM DO FORRÓ (2)

O XI FÓRUM DO FORRÓ FOI DEZ!  
Divulgação
Ao final dos debates, o público presenciou um show em homenagem a Luiz Gonzaga.


Zezito de Oliveira · Aracaju, SE
9/6/2012 · 0
O Fórum do Forró, que aconteceu nos dias 05 e 06 de junho de 2012, em Aracaju, realizou uma homenagem ao saudoso e querido Luiz Lua Gonzaga à altura da qualidade do grande legado que o mestre deixou.

Das homenagens realizadas no centenário do Gonzagão em Sergipe, esta é uma das que merecem mais louvores, pelo fato de se ter iniciado no ano de 2002, prosseguindo, de forma ininterrupta, até o presente ano.

A outra homenagem longeva a Luiz Gonzaga e também digna de louvor é o programa Aquarela Nordestina , apresentado pelo professor José Augusto, há cerca de 20 anos, pelas ondas da Rádio Aperipê 630 AM.

O que me chamou a atenção no primeiro dia foi a apresentação do site LuizLuaGonzaga por parte de seu criador e mantenedor Paulo Vanderley. Isto se deveu à forma clara, segura e apaixonada ancorada na utilização de um criativo recurso audiovisual, o próprio site. 












































Rei do Baião é o grande homenageado no XI Fórum do Forró
Fonte: Infonet
O evento é uma forma de resgatar a cultura nordestina
Autoridades abrem o XI Fórum do Forró(Fotos: César de Oliveira)
Na terça-feira, dia 05, teve início mais uma edição do tradicional Fórum do Forró de Sergipe. Organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), o evento é uma idealização de Paulo Correia, e retornou ao seu local de origem após a reabertura do Teatro Atheneu. “Essa é a casa do Fórum, pois a maior parte das versões do Fórum ocorreu aqui. A expectativa para o retorno do Fórum ao Atheneu é a melhor possível ainda mais com essa homenagem ao rei do baião que não é só nossa, mas de todo o Brasil”, disse o coordenador e idealizador do evento.

Com o intuito de discutir o ritmo autêntico do Nordeste, o Fórum do Forró reuniu artistas, pesquisadores e a população em geral, como forma de resgatar a cultura nordestina através dos debates, palestras e diversas apresentações e exposições artísticas que ocorrem ao longo dos dois dias de evento.
Genival Lacerda prestigia o evento
Em cada edição, os organizadores elegem um homenageado. Na última edição em 2011, Zé Dantas e Josa, o vaqueiro do sertão, foram os grandes homenageados. Neste ano, as homenagens estão todas voltadas à comemoração do Centenário de Luiz Gonzaga. Para isso, os sergipanos Erivaldo de Carira e Luiz Paulo, e os nordestinos Genival Lacerda, Alcymar Monteiro, Trio Nordestino, Targino Gondim, João Cláudio Moreno e Chambinho do Acordeon irão embalar o público com as canções do velho Lua ao longo dos dias de evento.
Para o músico Genival Lacerda, o Fórum é uma atividade de grande importância para a preservação da cultura nordestina. “Esse é um evento que tem que continuar sempre. É um evento maravilhoso que mostra a nossa cultura, relembra nossas raízes, e esse ano homenageando um ídolo como Luiz Gonzaga que projetou a música nordestina para todo o Brasil, é uma maravilha”, destacou o artista.
Abertura dos festejos

Alcymar Monteiro destaca a importância de Luiz Gonzaga para a nossa cultura
“Esse Fórum do forró é o pontapé inicial da grande festa junina de Sergipe”, constatou o músico Alcymar Monteiro. Para o artista, o Fórum cumpre o papel de iniciar os festejos de forma muito especial, homenageando sempre uma figura ilustre da nossa cultura. “E esse ano eu fico muito feliz porque o homenageado é meu compadre Luiz Gonzaga. Ele foi o maior artista popular do Brasil, foi a matriz para vários artistas, ele era um gênio, e como todo gênio, ele não sabia da grandiosidade dele, mas nós sabemos e estamos aqui para prestigiar essa riqueza que ele nos deixou”, afirmou.
Targino Gondim, que participou do Fórum ano passado, também esteve presente no evento e parabenizou a iniciativa de comemorar juntamente com todo o Brasil, o centenário do Rei do Baião.  “A influência de Luiz Gonzaga na minha vida é imensa, reflete nas minhas canções, a exemplo de esperando na janela, que foi inspirada numa música dele. A importância de homenagear Luiz Gonzaga é fundamental como forma de agregar valores, mobilizar a imprensa e mostrar ao mundo quão forte essa influência é em nossa cultura, e isso não pode ser esquecido”, comentou.
Targino Gondim repete participação consecutiva no Fórum do Forró
O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, abriu o primeiro dia do Fórum destacando a importância do evento para a cultura nordestina. “Esse evento é uma forma de fomentar a nossa cultura, através dos debates e palestras que aqui se realizam, por isso o Fórum já se caracteriza como um evento fixo dentro do calendário junino do estado”, concluiu o prefeito.
Além das apresentações musicais e palestras acerca da contribuição do Rei do baião para a cultura nordestina, foram lançados dois livros que tratam da vida e obra do homenageado do Fórum. As obras ‘O Rei e o Baião’, de Bené Fonteles, e ‘Mestre João Silva: Prá não morrer de tristeza’, de Zé Maria estão disponíveis para venda no hall do teatro ao longo do evento.
Confira a programação do segundo dia do evento:
Dia 6 de junho

19h - Palestra com Zé Maria, autor do livro “Mestre João Silva: Prá não morrer de tristeza”, sobre o tema “As parcerias de Luiz Gonzaga e João Silva” e depoimento de João Silva (o compositor com maior número de parcerias com Luiz Gonzaga
19h40 – Depoimento de Bené Fonteles, autor do livro “O Rei e o Baião”, a mais completa publicação sobre Luiz Gonzaga
20h10 – Depoimento de Chambinho do Acordeon, ator, cantor e sanfoneiro, que faz o papel de Luiz Gonzaga no filme “Gonzaga de Pai para Filho”, do diretor Breno Silveira (“Dois Filhos de Francisco”)
20h30 – Depoimento de João Cláudio Moreno, ator, humorista e cantor (trabalhou com Chico Anysio na TV Globo)
21h – Homenagem dos artistas João Cláudio Moreno, Chambinho do Acordeon, Luiz Paulo e Erivaldo de Carira
22h – Encerramento com o Quinteto Sanfônico de Aracaju
Por Díjna Torres



Debates e apresentações musicais encerram o XI Fórum de Forró

8/6/2012
Fonte: Click Sergipe 
Pesquisadores, artistas nacionais e locais, além do público em geral, estiveram presentes no recém restaurado Teatro Atheneu na última quarta-feira, 6, para a segunda  e última noite de apresentações e debates da XI edição do Fórum de Forró.

A iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), através da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), de incentivo à cultura este ano fez uma homenagem ao eterno rei do baião, Luiz Gonzaga, pelo seu centenário comemorado no dia 13 de dezembro. O evento lotou o teatro durante os dois dias de evento, revelando ao público curiosidades e histórias sobre o `Velho Lua´, até então desconhecidas por seus admiradores. 
Existente há 11 anos, o Fórum tem como objetivo principal resgatar valores, estimular na propagação da cultura popular brasileira e nordestina e também criar incentivos para o surgimento de novos artistas que, assim como fez Gonzagão, buscam retratar a realidade dura enfrentada pelos sertanejos, além de mostrar que o autêntico forró, tem seu valor e jamais será esquecido.

O coordenador do evento, Paulo Correia, destacou a participação de artistas e pesquisadores. "O Brasil comemora o centenário de Luiz Gonzaga, uma data muito importante e que merece ser lembrada sempre. Convidamos amigos, pesquisadores e artistas que, por sua vez, se mobilizaram para vir prestar essa homenagem ao Rei do Baião trazendo conhecimentos e peculiaridades sobre sua vida e carreira, fortalecendo ainda mais a admiração do público em relação ao artista", explicou.

Idealizador do Fórum de Forró, o atual secretário de Estado da articulação dos Movimentos Sociais, Chico Buchinho, comentou sobre a continuidade da realização do projeto anualmente. "Há 11 anos que o fórum de Forró de Aracaju é um momento oportuno para reflexão de tudo que aquilo que é feito na música nordestina. Aqui se discute sobre as várias vertentes do forró com a participação de uma gama imensa de artistas locais e nacionais e que, muito contribuem para a perpetuação histórica do mais autêntico gênero musical do país", declarou.

Durante a palestra temática sobre as peças do vestuário usadas por Luiz Gonzaga, a exemplo do inseparável chapéu de couro, que veio da influência do cangaceiro mais famoso do país, Lampião, e do gibão usado pelos sertanejos, ficou claro o apego e o amor que o `velho Lua´ tinha pelo Nordeste.

Outro assunto bastante comentado no decorrer da roda de debates foi sobre a história de vida de Luiz Gonzaga. Dos oito anos de idade, quando aprendeu a tocar sanfona passando pelo período em que serviu ao exército e até o auge da sua carreira no início dos anos 80, quando recebeu o troféu `Danado de bom´, as explanações a respeito do Velho Lua prenderam a atenção do público.

Participação

Estiveram presentes na segunda noite do evento artistas nacionais e locais, a exemplo dos músicos Chambinho do Acordeon, o compositor e amigo de Luiz Gonzaga, João Silva, o comediante João Cláudio Moreno e o cantor sergipano Erivaldo de Carira. Todos eles prestaram homenagens ao grande mestre, que foi pioneiro no ritmo que se tornou o mais popular do Nordeste.

O pesquisador e autor de uma das maiores biografias sobre o Rei do Baião, Bené Fonteles comentou sobre o diálogo com a plateia durante os debates realizados nas duas noites do evento. "Não podemos subestimar o público, eles conhecem, pesquisam e opinam sobre o que foi apresentado aqui. Está sendo bastante interessante participar de um evento dessa magnitude e que aborda um tema tão rico", declarou.

O comediante João Claudio Moreno contou que ficou feliz em receber o convite para participar do Fórum. "Tenho 22 anos de carreira e nunca tinha vindo à Aracaju. Estou muito feliz pela escolha da organização em ter nos incluído como um dos palestrantes do evento. Esta é uma iniciativa modelo que os demais estados deveriam seguir o exemplo", enfatizou.

Já o cantor e sanfoneiro sergipano, Erivaldo de Carira, revela a importância da influência de Luiz Gonzaga em sua vida. "Não sei o que seria de mim sem ele. A primeira música que toquei foi Asa Branca, e, se hoje faço música e dela sobrevivo é porque tive em quem me inspirar", confessou.

O público

Atentamente, o público ouvia as histórias, comentavam e aplaudiam as apresentações de cada um dos convidados. A vendedora Cleide Melo levou a família para participar do evento. "Vim aos dois dias do evento acompanhada pelo meu marido e pela minha filha. É gratificante saber que a Prefeitura de Aracaju se preocupa com preservação da cultura", disse.

As palavras da vendedora foram endossadas pelo marido de Cleide, Antonio Guimarães, que não foi para o evento somente para ouvir as histórias de Gonzagão, mas também para ver o seu ídolo, o comediante João Cláudio Moreno.

"Participei do evento durante os dois dias e achei interessante como os temas foram abordados e também das apresentações musicais, em especial à do João Claúdio, que fez uma excelente apresentação", elogiou.

O Presidente da Funcaju, Waldoilson Leite, justificou a importância da homenagem. "Luiz Gonzaga é um ídolo, um ícone. Afinal de contas, quem nunca ouviu falar dele? Fizemos esta homenagem para um homem que representou o Brasil mundo a fora, e mostrou a nossa riqueza cultural através do forró", ressaltou.

Ao fazer uma avaliação geral desta edição do Fórum de Forró, Waldoilson disse que o resultado foi além das expectativas. "Neste ano tivemos um público maior do que o esperado. Durante os dois dias de evento o Teatro Atheneu ficou lotado de pessoas que procuram conhecer mais sobre a vida e obra de Luiz Gonzaga, homem que encantou e ainda encanta os brasileiros. Sem dúvida essa foi a maior razão da XI edição do Fórum de Forró ter sido esse enorme sucesso", afirmou.




Nenhum comentário: