VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Não Sei

Cora Coralina

Não sei...se a vida é curta...

Não sei...
Não sei...

se a vida é curta
ou longa demais para nós.

Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido,
se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo:
É o que dá sentido à vida.

È o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira e pura...
Enquanto durar.

http://www.overmundo.com.br/banco/o-primeiro-dia-do-resto-de-nossas-vidas

domingo, 4 de janeiro de 2009

O QUE SERÁ O AMANHÃ? Continuar a organização e a luta cotidiana. Perespectivas da Ação Cultural e do Consórcio Cultural para 2009.

O Amanhã
Composição: João Sérgio

A cigana leu o meu destino
Eu sonhei!
Bola de cristal
Jogo de búzios, cartomante
E eu sempre perguntei
O que será o amanhã?
Como vai ser o meu destino?
Já desfolhei o mal-me-quer
Primeiro amor de um menino...

E vai chegando o amanhecer
Leio a mensagem zodiacal
E o realejo diz
Que eu serei feliz.

Sempre feliz...


Em alguns momentos ao ser indagado sobre como vejo a chegada de 2009, disse que entendia ser o ano da colheita e essa expressão nesta caso não é a mera repetição do que tem dito o companheiro Marcelo Déda a propósito do prognóstico sobre o governo estadual neste ano que começa agora, já que comecei a usá-la no mesmo período das declarações do governador (setembro/outubro de 2008).

E em que bases estão assentadas a idéia do ano de 2009 como ano da colheita, vejamos primeiro no caso da Ação Cultural.

É do conhecimento da maioria que a criação de uma organização não governamental em Sergipe não é tarefa muito fácil, tanto em razão da burocracia oficial, como pelo hábito secular de esperarmos que o estado se encarregue de fazer tudo em relação a área social e cultural, assim como pelo individualismo que é uma característica nacional, com exceção da solidariedade nos momentos de tragédias coletivas, mesmo com o avanço registrado a partir das lutas pela redemocratização com especial ascenso na década de 80 e não sem razão também pelo descrédito que muitas pessoas e organizações caíram a partir das denuncias de corrupção e da criação de verdadeiras “máfias” que ainda insistem em querer tirar proveito da miséria e da boa fé da nossa gente e em muitos casos infiltradas no aparelho de estado.

Entretanto, a despeito disso tudo estamos próximos de chegarmos a uma situação em matéria de organização da Ação Cultural bastante promissora. Senão vejamos:
1- Todos os documentos oficiais estão juntos e com fácil acesso.
2- As certidões negativas estão todas em dia.
3- Estamos reorganizando e ampliando o cadastro de associados.
4- Em 2008 foi providenciado o talonário de nota fiscal.

5- Os relatórios financeiros que eram um dos nossos gargalos foi todo organizado, inclusive as notas fiscais e recibos de 2002 e 2003, período em que a entidade não estava oficialmente organizada foram reunidas, considerando que mesma sem registro oficial, já havia a necessária colaboração financeira para o bom êxito das ações.

6- O arquivo jornalístico e fotográfico foi totalmente finalizado e já contamos com dossiês anuais (2002/2003 a 2008) contendo tudo o que foi possível reunir em material impresso e fotográfico sobre a Ação Cultural e sobre as ações que antecederam a criação da entidade, como é o caso da Rede de Agentes Culturais do Conjunto Jardim/Projeto Ecarte e Rede Provai.

Além disso, tivemos como destaque em matéria de realização, o seguinte:
Os blogs na internet foram alimentados constantemente e foi mantida a publicação regular de textos no portal overmundo , bem como a divulgação de eventos, nossos ou de terceiros, via lista de e-mails.

E para finalizar, os encontros de danças circulares e o baile foram os eventos de maior destaque no ano de 2008.

Com isso tudo, nos credenciamos a participar dos editais e solicitar de forma direta o aporte financeiro a organizações nacionais e internacionais que investem na área sociocultural.

Importante ressaltar a participação neste esforço de superação a contribuição da parte de Irene, de Maxivel e de Arnaldo da empresa de contabilidade Servcon e das amigas (os) do Grupo de Danças Circulares.

Como uma das metas prioritárias para o inicio de 2009 é a incorporação de novos associados e a substituição dos cargos vagos na diretoria e no conselho fiscal, solicitamos daqueles que foram convidados para compor o quadro de associados as seguintes atitudes:

a) Confirmação do convite e o consequente preenchimento da ficha enviada via e-mail. Sendo que aqueles que não puderem aceitar, por diversas razões e que são do nosso entendimento, poderão estreitar vínculos na área de trabalhos profissionais e/ou voluntários com a entidade e com outros grupos culturais com os quais temos contatos e que necessitam de serviços especializados.

Obs: A maioria dos grupos e entidades culturais com os quais temos contato, precisam urgentemente de elaboradores de projetos, especialistas em legislação do terceiro setor, contabilidade, marketing e comunicação.

b) Participação no grupo de estudos em políticas culturais, o qual teve o seu inicio ensaiado no ano que passou. Este convite é aberto para os sócios, colaboradores e parceiros em função da necessidade de qualificarmos a nossa atuação enquanto agentes socioculturais. Para ampliar o alcance dessa ação estaremos disponibilizando em breve uma lista com livros e textos de referência, impresso e on-line, afim de contribuir para a melhoria dos nossos conhecimentos no campo da cultura. Os livros e textos impressos estarão disponíveis para serem copiados.

c) E por último, a participação ativa de todos vocês, nos espaços públicos de formulação de políticas culturais, inclusive on-line, em virtude da opção política do governo federal, o qual nunca antes ( é verdade!) valorizaram os agentes culturais, chamando-os a construir juntos com os técnicos governamentais as linhas mestras, diretrizes e ações da política cultural da nação e com impactos positivos no âmbito das politicas culturais municipais e estaduais, em menor ou maior grau, a depender das opções políticas dos mandatários dos “andares de baixo” e da organização e mobilização da sociedade civil.

E finalmente estaremos realizando a primeira assembléia geral do ano, em fevereiro, aguardem confirmação de data, local e horário.

Gonzagão que se sonha junta, torna-se realidade.
Sobre o Consórcio Cultural em 2009.

Como e de conhecimento público desde que assumimos a direção do Complexo Cultural “O Gonzagão “ em maio de 2007, chamamos artistas, grupos culturais (principalmente os chamados “emergentes”) e entidades de apoio ou de assessoria no campo sociocultural, entre as quais a Ong Ação Cultural da qual faço parte, para compor um modelo de organização em forma de conselho para participarem da elaboração das linhas mestras, diretrizes e produção de algumas ações do/no Gonzagão, evidentemente que respeitando os limites politicos e orçamentários da nossa realidade.

Para nossa surpresa, embora tivesse assumido o Gonzagão sabedor das imensas dificuldades que encontraria pela frente e para surpresa ainda maior de muitos dos nossos colaboradores e parceiros, estes limites, notadamente nos aspectos físico/estruturais, financeiros e em recursos humanos qualificados eram maiores do que supúnhamos e mesmo assim obtivemos avanços consideráveis, destacamos como co-responsáveis por este sucesso: O apoio do Secretário de Estado da Cultura, Professor Luiz Alberto, que também encontrou as mesmas dificuldades, porém num âmbito maior; A estadia da Caravana Internacional Arcoiris no ano de 2007 e que deixaram um pouco de si, de maneiras diferentes, dentre as quais através da presença de dois artistas, egressos da Caravana e que permaneceram conosco neste ano de 2008 (Colores e Iris). A presença solidária do vereador Chico Buchinho, am alguns momentos, cujo mandato tem a área cultural como uma de suas prioridades e a cobertura da maioria dos orgãos de imprensa (especialmente no ano de 2007).

Importante registrar como realizações importante em termos de significado e/ou de maior visibilidade no ano de 2008, as vivência com dança-yoga, a oficina de circo, as rodas de diálogo e de danças circulares, a tentativa de reabertura do Forró do Candeeiro no Gonzagão, a abertura do Telecentro para a comunidade, a homenagem prestada ao cantor e compositor Dominguinhos pelo Consórcio Cultural, a parceria com o projeto Academia da Cidade (Secretaria Municipal da Saúde), A II Semana Luiz Gonzaga, o Festival Cultural do Projeto Abrindo Espaços, da Secretaria de Inclusão Social, a organização da Federação das Quadrilhas Juninas do Estado de Sergipe e as Mostras do Teatro do Oprimido, realização do Centro Teatro do Oprimido (RJ) com o patrocínio da Petrobrás e o apoio da Secretaria de Estado da Cultura.

E por último, como afirmei na celebração do consórcio cultural em dezembro último: O ano de 2007 foi o momento do Consórcio Cultural aparecer em grande estilo através da Semana Luiz Gonzaga, da Noite Cultural, do Presépio Natalino e de uma série de atividades realizadas pela Caravana Arcoiris. Já o ano de 2008 foi o tempo de ampliar conhecimentos sobre como garantir a sustentabilidade das entidades e grupos culturais que “brilharam” em 2007 no Gonzagão através dos eventos planejados e realizados em parceria, e neste caso os destaques neste ano que vai indo embora, foram as ações de qualificação de agentes culturais, como a palestra sobre empreendedorismo cultural, o curso de elaboração de projetos para a captação de recursos e o curso de empreendedorismo cultural realizados através da parceria imprescindível com o SEBRAE.

A nossa esperança é que unindo o talento artístico demonstrado desde 2007, com o aprendizado na área de produção de gestão e produção cultural no ano de 2008, possamos ter um 2009 que corresponda as nossas melhores expectativas de ações culturais “sustentadas” e com qualidade técnica e estética mais apurada.

P.S.: Importante destacar que as dificuldades que encontramos fazem parte do triste legado das administrações públicos que nos antecederam, ligadas aos partidos oligárquicos que se sucedem no poder desde o golpe de 1964 e que tentarão voltar ao poder em 2010 substimando a capacidade de percepção dos brasileiros. É claro que o atual governo precisa avançar e muuuito em questões como a reforma agrária e a democratização do acesso as ondas de rádio e teledifusão, entre tantas questões fundamentais, entretanto, precisamos garantir os direitos que conquistamos e ampliá-los e isso se faz através da organização e da luta cotidiana.

Lili
Composição: Edson Gomes

Vamos amigo lute
Vamos amigo lute
Vamos amigo lute uoh oh!
Vamos amigo ajude, se não
A gente acaba perdendo o que já conquistou... ("iêa")
A gente acaba perdendo o que já conquistou ...bis

Vamos levante lute
Vamos lavente ajude
Vamos levante grite
Vamos levante agora
Que a vida não parou
A vida não para aqui
A luta não acabou
E nem acabará
Só quando a liberdade raiaaarrr iêa
Só quando a liberdade raiaaarrr...

Liberdade
Liberdade
Teu povo clama lili

Dona lili