VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

IDEA 2010 abre programação acadêmica discutindo transformação com representantes da segurança pública, da educação e da cultura popular

IDEA 2010 abre programação acadêmica discutindo transformação com representantes da segurança pública, da educação e da cultura popular


Transformação foi a palavra de ordem da primeira Roda Vida do VII Congresso Mundial da IDEA 2010 – “Viva a Diversidade Viva! Abraçando as Artes de Transformação”, na manhã desse domingo (18), no Centro de Convenções da Universidade Federal do Pará (UFPA). Não por acaso o tema da primeira Roda Viva foi “Quais são nossos principais desafios da transformação?” e a resposta uníssona foi a responsabilidade individual e consciente para mudar a forma de educar as crianças atualmente.

A primeira Roda Viva foi transformadora por si só: pela primeira vez no congresso um policial foi chamado a falar de sua experiência de mudança dentro da corporação. O convidado em questão foi o Coronel PM-PA Costa Jr. Em sua fala, definida por ele como “curta, justa e provocativa”, ele disse que a polícia deve trilhar um caminho não só de “caçar” bandidos, mas de ajudar mais os cidadãos; de não só dar números da violência, mas pensar humanamente em como diminuí-la. “Nada muda sem educação; educação é mudança de comportamento”, afirma Costa Jr.

Participaram ainda deste momento Luana Viluti, socióloga e moderadora; Dona Onete, educadora popular; Deíze Botelho, diretora do Festival Internacional de Teatro/Festa Mundial das Artes; e Ney Wendell, coordenador acadêmico-pedagógico do IDEA2010. Para cada um a moderadora perguntou a respeito de músicas que remetiam a infância, de como era a época na escola, da experiência de se fazer cultura em rede hoje no Brasil.

Dona Onete relembrou sua experiência em Cachoeira do Arari em que prendia a atenção das crianças das séries iniciais durante as aulas contando e cantando lendas. Como fazia no município da Ilha do Marajó, ela contou as lendas da cobra-grande, do boto, da Iara; e cantou várias vezes durante a roda, prendendo a atenção, desta vez, dos participantes que acompanharam com palmas e até arriscando cantar um pouco, vencendo a barreira do diferentes idiomas falados pelos representantes de 70 países que participam do evento.

A primeira Roda Viva reuniu profissionais que aplicam as linguagens artísticas nas principais dimensões da vida, em crise nos nossos dias: alimentação, saúde, segurança e economia. É ponto inicial das conversas do Congressso, que retratam os caminhos possíveis para se compreender e colocar em prática o desenvolvimento das artes, em suas múltiplas e integradas linguagens pedagógicas de teatro, dança, música e artes visuais, buscando uma transformação social que tenha como base a diversidade cultural. É o entendimento da transformação dentro de uma compreensão intercultural e que se efetive de forma colaborativa e coesa, possibilitando que as artes, como um direito humano essencial, desenvolvam uma sociedade mais solidária, criativa e integrada, afirmando as identidades culturais pessoais e comunitárias.

Rodas Vivas - São “mesas trialógicas” em plenária, montadas para discutir questões globais e que interliga os principais temas do congresso. Cada uma será uma teia de triálogos entre profissionais de diversos continentes geográficos e socioculturais, numa conversa pública entre diversos saberes e práticas, realidades e culturas, entre educadores populares, comunitários e universitários com experiências múltiplas com as linguagens artísticas. A pedagogia da mesa propõe diálogos internos e públicos em conversa, em vez de três apresentações monológicas e corridas, moderadas pro-ativamente por um praticante, cuja experiência abraça e celebra a diversidade dos componentes presentes. As perguntas abordadas por estas rodas vivas, que iluminarão e problematizarão o grande tema do congresso - as artes da transformação - e que perpassam por vários campos sociais e educacionais na sociedade, são as seguintes:
--
Killzy Lucena
Assessoria de Comunicação
Núcleo de Comunicação IDEA 2010
(91)8192-9484


Leia sobre a participação de Sergipe, abaixo:
http://consorciocultural.blogspot.com/2010/07/experiencia-do-projeo-ecarte-sera.html

terça-feira, 13 de julho de 2010

Sobre a Ação Cultural - Principais Perguntas

Quando Ação Cultural foi criada?

A Ação Cultural foi criada em reunião realizada no dia 13 de agosto de 2004, na Casa da Cidadania, na Rua Maruim, 333, no centro de Aracaju e é composta por artistas e produtores culturais emergentes, além de educadores envolvidos com ação cultural em bairros populares. Os esforços para criar uma entidade desse tipo, vêm desde o ano de 2002, no Conjunto Jardim, município de Socorro. No entanto, após diversas reuniões no local o projeto não logrou êxito.

Quem foram os fundadores da Ação Cultural?

A criação da entidade em 2004 reuniu além de remanescentes dessa iniciativa, outros agentes culturais da periferia, em especial dos bairros: Eduardo Gomes, Siqueira Campos e Industrial, sujeitos de uma mobilização vitoriosa em torno da aprovação pela Câmara Municipal de Aracaju da Lei que cria o Programa de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI).
Como o esforço de mobilização envolveu diversos artistas individuais, representantes de grupos culturais e entidades, a articulação recebeu a denominação de Rede PROVAI.
Com o esvaziamento das reuniões da Rede PROVAI o grupo dos agentes culturais “resistentes” resolve priorizar o fortalecimento da Ação Cultural.

Qual a  missão da Ação Cultural?

A entidade tem como missão e fim institucional apoiar e realizar iniciativas voltadas para o desenvolvimento social, artístico e cultural das comunidades.

Como a Ação Cultural se organiza? (em termos amplos)

A Ação Cultural se organiza buscando empoderar agentes e grupos culturais que atuam na periferia realizando de forma compartilhada: Reuniões, pesquisas de diagnóstico, oficinas de elaboração de projetos, produção de artigos/release, divulgação on-line, organização de portfólios, promoção de fóruns de debates, oficinas e mostras artísticas.
Para garantir um alcance mais amplo e eficaz das atividades elencadas acima, a Ação Cultural tem buscado participar de oficinas, seminários e cursos de capacitação, bem como de fóruns e redes, como também incentiva a participação dos agentes e grupos culturais comunitários neste sentido.

Principais realizações da Ação Cultural (da fase embrionária (2001-2002 até 2009)

Realização do I Fórum Comunitário de Politicas Públicas e criação da Rede de Agentes Culturais do Conjunto Jardim. – Reunião de diversos representantes de grupo cultural e professores com o objetivo de tecer relações de apoio mútuo, trocas de experiências e ações conjuntas. A partir dessas reuniões é que foi gestado o Projeto Ecarte. Esse trabalho foi desenvolvido de forma voluntária e contou com o apoio do Colégio Leão Magno Brasil e Caic Antonio Rolemberg que cederam instalações e equipamentos. A Igreja Nossa Senhora Rosa Mistica cedeu instalações, apoio a divulgação e incentivo através do Pároco, na época Padre Givanildo, que estimulou os adolescentes e jovens envolvidos com arte e cultura e que frequentavam a igreja para participarem das reuniões.


Projeto Estatuto da Crianças e do Adolescente com Arte (Ecarte): É uma ação que antecede a criação da Ação Cultural, prosseguindo até 2006, com inicio de discussão e ações para a retomada, iniciada a partir de setembro de 2009. Realizado entre os anos de 2001 à 2006, no Conj. Jardim, região metropolitana de Aracaju, bairro formado por habitantes de baixa renda, com precária oferta de serviços públicos e de cultura e lazer. O projeto reuniu de 15 a 60 adolescentes em situação de vulnerabilidade social e estudantes da rede pública de ensino. As meninas foram maioria, representando 70% do total de participantes. Do ponto de vista étnico/racial, a maioria são afro-amerindio descendentes.

Mobilização a favor da Lei que cria o Programa de Valorização de Iniciativas Culturais – Antecedeu a criação da Ação Cultural e foi um dos espaços de gestação da entidade. Esta mobilização iniciada em 2003, com o nome de Rede Provai, reuniu no momento mais intenso de participação cerca de 15 representantes de grupos e entidades, representando 200 adolescentes e jovens, engajados em trabalhos com arte e cultura em bairros com baixo IDH e altos indíces de violência urbana. Deixou de existir no ano de 2005, fortalecida de um lado pela aprovação da Lei na Câmara Municipal de Aracaju e enfraquecida pela não implementação da lei pelo poder executivo. Neste ano, foi iniciado os Fóruns Populares de Cultura, que uniu representantes de alguns grupos e entidades remanescentes da PROVAI

Fóruns Populares de Cultura – Realizado em 2005, 2006 e e 2007. Constituiu-se em uma iniciativa cultural voltada para a articulação/formação de artistas, técnicos, produtores/gestores culturais, educadores, lideranças juvenis e estudiosos especializados na área artístico/cultural, com atuação em Sergipe, com ênfase aos aspectos relacionados à cidadania cultural e metodologias do trabalho social-educativo com linguagens artísticas. O Fórum foi realizado na perspectiva de contribuir para a qualificar o trabalho realizado com crianças, adolescentes e jovens, não apenas daqueles realizados pela Ação Cultural, como por outras pessoas e entidades. Em termos de parceria para a custeio das das despesas, contou no ano de 2006, com a contribuição de R$3.730,00, oriunda da Coordenadoria Ecumênica de Serviço e em 2007 participou da seleção pública de projetos do prêmio BNB de cultura e recebeu R$ 9.971.00. As despesas da edição 2005 foram cobertas totalmente com contribuição voluntária.

Encontro mensal de Danças Circulares, Oficinas semestrais e Bailes anuais. Desde 2005, a Ação Cultural assume a coordenação dessa atividade que acontece desde o ano de 2001 em Aracaju. Iniciativa cultural que conta com a participação de estudantes e profissionais de diversas áreas (professores, pedagogos, psicólogos, terapeutas holisticos, assistentes sociais, funcionários públicos e etc., )com atuação em Sergipe. As danças circulares são utilizadas no trabalho cultural, educativo, social e terapêutico, como canal e instrumento de comunicação criativa, de auto-conhecimento, de saúde integral, de celebração e integração. As parcerias foram/são realizadas com a Comunidade Católica Bom Pastor, Complexo Cultural “O Gonzagão”, Fundação de Seguridade Social(GEAP) e Centro de Criatividade. Estas possibilitam a cessão do espaço fisico para os encontros mensais, oficinas semestrais e bailes anuais. Os responsáveis pelos circulos de dança, assumem o trabalho de forma voluntária. Na realização das oficinas semestrais é solicitado uma contrribuição em dinheirro para cobrir as despesas com a vinda de um focalizador mais experiente para ampliar o repertório de danças. Em termos quantitativos os encontros mensais reuném entre 10 e 20 pessoas, as oficinas semestrais entre 20 e 30 pessoas e os bailes semestrais, entre 20 e 50 pessoas. As mulheres representam 70% das (os) participantes.

Consórcio Cultural: É uma iniciativa cultural, criada em 2007, voltada para grupos culturais, artistas e produtores que trabalham na periferia e/ou emergentes. Inicialmente ficava restrito a área geográfica do conjunto Augusto Franco e ao seu entorno, em Aracaju. Tem como objetivo buscar capacitação na área da gestão e produção cultural, desenvolver parcerias para potencializar as iniciativas culturais populares e buscar meios que possibilitem dar visibilidade aos artistas e grupos culturais emergentes. Até junho de 2009 a parceria principal foi com o Complexo Cultural “O Gonzagão”, que cedia suas instalações fisicas para reuniões e eventos artisticos, bem como funcionários de apoio e serviços de telefone, computador e internet. Outro parceiro importante era/é é o Sebrae (atual parceiro master) que cede consultores técnicos e espaços fisicos para a realização de oficinas e cursos. A Ação Cultural faz a articulação/mobilização do grupo. As reuniões são mensais e reúne uma média de 10 pessoas. A palestras e oficinas reúnem entre 20 e 30 pessoas. Os homens representam 60% dos participantes

Prioridade para o ano de 2010

1 - Retomada e ampliação do Projeto Ecarte.

2 - Realização do Sarau Cultural Itinerante. Realizado com grande sucesso no mês de setembro de 2009. Tem como objetivo criar oportunidade para divulgar a produção artistica dos sócios e colaboradores da Ação Cultural, fortalecendo vinculos de amizade, as singularidades e a diversidade. Pretende-se realizar um sarau por semestre com a meta de atingirmos 50 pessoas (jovens e e adultos de diversos bairros de Aracaju e de outros municipios).

3 - Criação do Núcleo de Elaboração de Projetos.

4 - Retomada dos cursos de capacitação e qualificação em gestão e produção cultural,através da parceria Consórcio Cultural-Sebrae (SE).

VEJA O CANAL DE VIDEO DA AÇÃO CULTURAL NO YOU TUBE
http://www.youtube.com/user/acaoculturalsergipe1

NESTE OUTRO CANAL, VOCÊ TAMBÉM CONFERE IMAGENS DA AÇÃO CULTURAL
http://www.youtube.com/user/Maxilander007

domingo, 11 de julho de 2010

AULA ABERTA DE BIODANÇA EM RECIFE (PE)


“...mais que uma ciência a
BIODANÇA é uma POÉTICA DO ENCONTRO HUMANO, uma Nova Sensibilidade frente a Existência” (Rolando Toro)

É o Amor compartilhado na Roda...

É a Vida em Movimento.

A U L A A B E R T A . . .

14 – 07 – 2010

Das 18:30hs às 20:30hs.

Rua de Santa Cruz, 190, Boa Vista, Recife, PE (próximo ao Mercado da Boa Vista)

Contato: 88136732 - cledsonreis@bol.com.br

Cledson Reis

:/) Então,

observou esta imagem?...

É isso mesmo!

Esta almofada é a sua...

O Grupo inteiro encontra-se a sua espera,

com o espaço aberto para te acolher.

Se você já conhece a Biodança, chegue pra sentir a energia do Grupo.

Se você ainda não conhece a Biodança chegue pra sentir VOCÊ MESMO/A.

Se você se reconhece como Cuidador/a no seu fazer... faça parte do nosso Projeto: BIODANÇA PARA CUIDAR DE QUEM CUIDA.

Agora...

Um pouco de informação sobre o que é a BIODANÇA...

Aquele Abraço,

está a sua espera. Venha pra nós te darmos.

Cledson Reis

BIODANÇA – A DANÇA DA VIDA.

Segundo seu criador, o chileno Rolando Toro, “…mais que uma ciência, a Biodança é uma poética do encontro humano, uma nova sensibilidade frente à existência.” É um trabalho, uma experiência educacional e re-educacional que busca o desenvolvimento pleno das pessoas na sua essência verdadeira, capazes de CRIAR, AMAR e VIVER em contato consigo mesmas, com os outros, com a natureza e o transcendente (a totalidade). Biodança é uma abordagem terapêutica pedagógica, sem ideologias religiosas, políticas, culturais, mas com um profundo vínculo com todas as ideologias em favor da vida e da liberdade.

A Biodança ativa os potenciais geradores de vida, com exercícios sistematicamente estudados, e aplicados coerentemente a partir do modelo teórico da abordagem. Em Biodança trabalhamos essas potencialidades humanas – bloqueadas ou adormecidas em cada um, através da gestalt Movimento-Música-Vivência. A música induz o movimento deflagrador de vivência integradora. O movimento corporal revela o movimento existencial. Se mudarmos o movimento do nosso corpo mudamos o movimento da nossa vida.

A Biodança trabalha o AFETIVO (emoções);

CORPO (movimento/contato);

INCONSCIENTE (música/corpo)

sempre em GRUPO

para atingir o desenvolvimento pleno da IDENTIDADE(Singularidade).

· Objetiva desenvolver a Identidade e a Harmonia entre:

SENTIR – PENSAR – AGIR
Segundo Toro, seu principal objetivo é “a renovação orgânica e a reaprendizagem das funções originárias da Vida”.

· Baseia-se em 4 pilares fundamentais:

. O Princípio Biocêntrico: tudo parte da VIDA e ela é o centro de tudo;

. A Vinculação Ecológica: tudo no universo está ligado e evolui em relação;

. Ação Profilática: deve-se desenvolver a saúde e as formas positivas existentes nas pessoas e grupos;

. Transformação dos Estilos de Vida, dos Valores e Relações.

· Seus Princípios são:
. Prioridade na Vivência;
. Progressividade;
. Auto-regulação;
. Ação sobre a Saúde;
. Criatividade Existencial;
. Harmonia (Integração Corporal – Vínculos).
· Centra-se em 5 canais de expressão de nossos potenciais – As Linhas de Vivência:

. Vitalidade

. Sexualidade

. Criatividade

. Afetividade

. Transcendência

As Linhas de Vivência em Biodança:

1. Vitalidade: É a base da Identidade. Liga-se ao instinto de conservação, à vontade de viver, à coragem de realizar coisas, à saúde em geral.

2. Sexualidade: Liga-se ao instinto sexual de preservação da espécie, capacidade de sentir prazer não só genital, mas prazer em viver; contato com necessidades e desejos.

3. Criatividade: Liga-se à Auto-Expressão da singularidade de cada pessoa como um ser único, com uma forma própria de pensar / agir / sentir / relacionar-se de maneira livre e autônoma; liga-se ao instinto exploratório e à capacidade de TRANSFORMAR e TRANSFORMAR-SE.

4. Afetividade: Liga-se ao instinto gregário; à capacidade de AMAR a vida, a natureza, a si, as pessoas… de forma mais específica (diferenciada) e de forma geral (indiferenciada) também; capacidade de confiar / abandonar-se, proteger, cuidar, solidarizar-se…

5. Transcendência: Liga-se ao instinto religioso, místico, de fusão/ligação com o todo; à capacidade de sentir-se único e ao mesmo tempo, parte de algo maior… sentir-se dentro do universo e tê-lo dentro de si.

Áreas de aplicação da Biodança:

· Biodança com Crianças (profilaxia);

· Biodança com Adolescentes;

· Biodança com Adultos que buscam uma melhoria de sua qualidade de vida;

· Biodança com Gestantes;

· Biodança com Casais;

· Biodança para a Terceira Idade(melhoria na motricidade, vitalidade e alegria de viver);

· Biodança para grupos específicos/área de saúde: pacientes mastectomizadas, aidéticos, pacientes da área de saúde mental(neuróticos e psicóticos), crianças especiais, etc.

· Biodança com grupos de gênero;

· Educação Biocêntrica – Educação comprometida com a formação integral;

· Aplicações em Psicologia Comunitária ;

· Aplicações em Grupos Populares , Organizações, Sindicatos, Associações e outros;

(fonte: http://www.saudeintegral.com/artigos/biodanca-a-danca-da-vida.html)

sábado, 10 de julho de 2010

EXPERIÊNCIA DO PROJETO ECARTE SERÁ APRESENTADA EM CONGRESSO MUNDIAL


II FÓRUM POPULAR DE CULTURA - ARACAJU (AUDITÓRIO DO SEBRAE) - 2006 (PARTICIPAÇÃO DE ADOLESCENTES DO PROJETO ECARTE)
Foto: Zezito de Oliveira

Coloque em prática o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) com arte e transforme em oficinas voltadas para adolescentes da periferia da Grande Aracaju. Assim originou o projeto ECARTE no ano de 2002. A experiência construída com arte-educadores e lideranças comunitárias será apresentada no “VII Congresso do IDEA - Abraçando as Artes de Transformação: Viva a Diversidade Viva!” que acontecerá nos dias 17 a 25 de julho.

Segundo o idealizador do projeto ECARTE, o professor de História, arte-educador e Produtor Cultural Zezito Oliveira, a viagem será uma ótima oportunidade de conhecer outras metodologias de trabalho e divulgar a produção sergipana na categoria de iniciativas culturais e transformação social. De volta a Aracaju, o arte-educador pretende repassar o conhecimento e experiências obtidas durante o congresso. Para Zezito participar de um evento deste porte é fundamental:

“Dentre os aspectos importantes para a participação no congresso do IDEA destaco as possibilidade de ampliação do alcance e a repercussão do Ecarte, colaborando com a ampliação da auto-estima de quem esteve envolvido e sentido de pertencimento em relação a Ação Cultural, pelo fato de ser a primeira vez que esta iniciativa é apresentada em um congresso internacional.

Outro aspecto importante é que esta apresentação em Belém, está exigindo uma apuro em termos da sistematização do Projeto Ecarte o que vem proporcionando uma apreensão mais aprofundada do limite e potencial do trabalho realizado, o que trará um avanço bastante significativo em relação aos aspectos qualitativos da assessoria pedagógica, neste momento de revitalização do Projeto Ecarte. “

A participação do ECARTE no Idea 2010 se dará através de uma breve apresentação, utilizando recursos áudio-visuais para abordar pontos como: caracterização do local onde foi realizado; principais agentes envolvidos; idéias que norteiam o trabalho; metodologia das oficinas e resultados alcançados, além de depoimentos de adolescentes e jovens parti cipantes.

IDEA 2010 – A instituição Idea foi fundada em 1992 através da convergência de diversos agentes culturais e educadores que tinham como foco seguir a diretriz de que “todos os seres humanos têm a capacidade e o direito de aprender as linguagens criativas e habilidades necessárias para criar um mundo justo e pacífico”.

Nesta VII edição o Congresso Idea terá uma maior abrangência em relação às edições anteriores. O encontro traz uma nova proposta pedagógica para a educação mundial, que será apresentada direto da capital paraense por representantes de mais de 70 países que formam o IDEA, com apoio da Unesco-Brasil, Aliança Mundial pelas Artes, Ministério da Cultura, Ministério da Educação e diversas instituições de ensino.

Para se ter noção da dimensão do evento seguem alguns números do Congresso: público estimado de duas mil pessoas de todos os continentes; 117 horas, nove dias ininterruptos para criar propostas pedagógicas e transformar as relações sociais nos setores vitais da sociedade como escola, segurança pública e saúde; mais de 400 ações organizadas em debates, conferências, apresentações, palestras, oficinas artísticas, atrações de dança, teatro e música. Os palcos serão as praças, universidades, teatros, escolas e 15 ilhas da comunidade ribeirinha que circundam a cidade.

HISTÓRICO ECARTE - O projeto foi fruto do 1º Fórum Comunitário de Políticas Públicas, realizado em agosto de 2001. Nesse, além dos conferencistas, alguns grupos de teatro e dança, formados por adolescentes da comunidade, foram convidados para, através da arte, mostrar os seus anseios e frustrações com relação ao tema. Por isso, foi iniciada a formação de uma rede de agentes culturais formada por adolescentes e jovens interessados em ampliar a sua atuação na área.

CONJUNTO JARDIM



Fotos: Ronaldo Lima

No período 2002 à 2006, no Conjunto Jardim, bairro periférico do município de Nossa Senhora do Socorro (SE) aconteceram as oficinas do ECARTE. Durante esta época foram proporcionadas, aos adolescentes da região, iniciação às artes cênicas, utilizando o Estatuto da Criança e do Adolescente como tema das coreografias e esquetes teatrais. Aproximadamente 60 adolescentes tiveram oportunidade de descobrir o mundo do teatro e da dança além da consciência dos seus direitos fundamentais.


APRESENTAÇÃO DE INTEGRANTES DA OFICINA DE TEATRO - I MOSTRA ARTE E CIDADANIA - ARACAJU (TEATRO JUCA BARRETO/CULTART) - 2004.


APRESENTAÇÃO DE INTEGRANTES DA OFICINA DE DANÇA - JORNADA DA CONFIANÇA - ARACAJU (GINÁSIO CONSTÂNCIO VIEIRA) - 2005.



APRESENTAÇÃO DE INTEGRANTES DA OFICINA DE DANÇA - I MOSTRA ARTE E CIDADANIA - ARACAJU (TEATRO JUCA BARRETO/CULTART)- 2004.



Em 2010 a meta é atuar em parceria com a Cia de Dança Rick di Karllo que possui um trabalho consolidado no Conjunto Eduardo Gomes, no município de São Cristóvão (SE). Pretende-se atingir 20 crianças e adolescentes, estudantes da rede pública de ensino. O projeto ECARTE é realizado pela organização Ação Cultural que tem como filosofia a utilização da cultura como forma de transformação da realidade social trabalhando nas periferias da região metropolitana de Aracaju.



Reunião para discussão referente a retomada do Projeto ECARTE com integrantes da Cia de Dança Rick di Karllo. (sede da Cia Rick di Karllo - municipio de São Cristóvão – 2009).

O representante da Ação Cultural no 7º congresso do IDEA viaja com o apoio do SEBRAE-SE.

MATÉRIA TAMBÉM DISPONIVEL NO PORTAL OVERMUNDO
http://www.overmundo.com.br/overblog/arte-e-direitos-pra-todo-mundo-e-para-o-mundo-todo

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Indicação de Leitura - Livro traz 340 repostas baseadas em dúvidas femininas

ROSANA FERREIRA
Editora-assistente de UOL Estilo Comportamento
fonte: Portal UOL

Homens e mulheres precisam olhar o sexo oposto com menos ilusão, diz autor
CONFIRA DEZ RESPOSTAS

Há 30 anos, o consultor de relacionamento Sergio Savian busca a reflexão sobre a questão amorosa por meio de cursos, consultorias, blog, livros, CDs e DVDs. Sua última investida é o livro “Amor e Sedução para a Mulher do Século XXI – 340 respostas sem as quais nenhuma mulher consegue amar” (Jardim dos Livros, R$ 29,90).

No décimo livro de sua carreira na área comportamental, Savian fez uma seleção de perguntas vindas de clientes e jornalistas num período de dois anos. “Por isso, creio que representam muito bem o que passa pela cabeça da mulher moderna”, diz.

Entre suas conclusões nesses 30 anos de trabalho, está a de que homens e mulheres precisam olhar o sexo oposto com menos ilusão e mais senso de realidade. Confira outras ideias do consultor na entrevista abaixo.

lEIA MAIS EM:
http://estilo.uol.com.br/comportamento/ultnot/2010/07/07/livro-aborda-340-respostas-baseadas-nas-duvidas-femininas.jhtm

quinta-feira, 1 de julho de 2010

CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS (2010)

O motivo desta comunicação é informar a respeito do PRIMEIRO CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS dentro da programação firmada entre o CONSORCIO CULTURAL E O SEBRAE para aperfeiçoamento dos PRODUTORES CULTURAIS.

Esta é uma das duas ações de capacitação previstas para o ano de 2010. A segunda será o curso/oficina de capacitação em produção cultural (noções básicas na área de som, iluminação, cenografia, legislação e etc..).

É uma excelente oportunidade de aperfeiçoamento para aqueles que, estejam envolvidos de algum modo com a questão cultural do estado de Sergipe e do país.

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS.
MINISTRADO POR EDILSON NASCIMENTO-SEBRAE
LOCAL: SEBRAE - ARACAJU - SE
DATA: 28 a 30 de julho de 2010
HORÁRIO: 08-12:00 e 14:00-18:00h, ou seja, oito horas durante três dias.

Sugerimos que os grupos ou entidades inscrevam até duas pessoas.
Pré-Inscrição

Nome______________________________________________________

E-mail____________________________________________________

Telefone___________________________________________________

Grupo ou Entidade__________________________________________(se for o caso)


GRATUÍTO E COM DIREITO A CERTIFICADO
Conteúdo programático do curso:
- Noções básicas sobre captação de recursos
- Concepção de projetos
- Estrutura de projetos
- Elaboração de projetos para captação de recursos
- Conhecendo os financiadores
- Avaliação de projetos

Para que possamos desenvolver este conteúdo a contento, os participantes devem ser, preferencialmente, pessoas que exerçam ou já tenham exercido atividades técnicas ligadas a área de gestão e produção cultural e sejam conhecedoras dos problemas da comunidade, instituições ou grupos onde atuam. Além disso, é preciso que tenham boa capacidade de escrever (colocar idéias no papel), requisito mínimo para um pretendente à função de elaborador de projetos.

Claro que isso não deve ser levado à risca, visto que o curso também é uma excelente ferramenta para quem pretende apenas ter uma noção de como contratar e o que exigir de um elaborador de projetos.

Consórcio Cultural: É uma iniciativa cultural, criada em 2007, voltada para grupos culturais, artistas e produtores, inicialmente restrito ao conjunto Augusto Franco e ao seu entorno, em Aracaju. Tem como objetivo buscar capacitação na área da gestão e produção cultural, desenvolver parcerias para potencializar as iniciativas culturais populares e buscar meios que possibilitem dar visibilidade aos artistas e grupos culturais emergentes. Até junho de 2009 a parceria principal foi com o Complexo Cultural “O Gonzagão”, que cedia suas instalações fisicas para reuniões e eventos artisticos, bem como funcionários de apoio e serviços de telefone, computador e internet. Outro parceiro importante é o Sebrae (atual parceiro master) que cede consultores técnicos e espaços fisicos para a realização de oficinas e cursos. A ONG Ação Cultural é a entidade encarregada de fazer a articulação/mobilização dos agentes culturais.

Blogs:
http://consorciocultural.blogspot.com e http://acaoculturalse.blogspot.com

Mais informações através do e-mail: ongacaocultural@yahoo.com.br ou pelo telefone 3044-8186